Jurão, relíquia do Morro do Tambor, faria 85 anos hoje (10) se estivesse ainda em vida: PARABÉNS, IRMÃO!!!

293

 

Jurão com uma de suas filhas e um neto. [Foto: Elizete Maria]

CUIABÁ/MT – Juracy Antonio de Souza, foi morador um morador antigo do bairro Morro do Tambor desde o final da década de 1950, na Travessa Severino Albuquerque, endereço que pertence à família até aos dias atuais. Juracy ou “Jurão” como era chamado por amigos e colegas de trabalho do antigo Departamento de Estradas de Rodagem/Dermat, onde foi admitido em 31 de agosto de 1958, na época chamado de Comissão de Estradas de Rodagem/C.E.R.

Jurão foi casado com a senhora Ana Maria de Souza, 83, teve vários filhos e netos. Se ainda estivesse vivo, hoje, estaria completando 85 anos. Uma das filhas de Jurão, Elizete Maria, foi minha colega de sala na escola Professora Tereza Lobo, na Várzea Ana Poupino no ano de 1981, ou seja, uma amizade que dura mais de 40 anos. Meu amigo Jurão, aposentou-se no  começo da década de 1990, com quase 40 anos de efetivo exercício no cargo de servidor público estadual.

Sobre seu pai, Elizete deu o seguinte depoimento: ““O que dizer de um ser humano maravilhoso, falar de meu pai conhecido como Jurão, um pai que tinha um caráter excelente, trabalhador, honesto. Que criou 9 filhos, sendo que nenhum  se perdeu. Um pai brincalhão, que gostava de tomar sua pinga e que alegrava a todos por onde passava, hoje só  a saudade ficou. Mas também  um legado  de muito  amor e compaixão, sempre  vou ama lo.

Juracy, além de vizinho muito querido e respeitado foi um colega de trabalho muito querido e estimado por todos. Alegre e expansivo, gostava de contar piadas e estorinhas que muito divertiam aos colegas, que faziam rodinhas em seu entorno, para escuta-lo. Fui colega de Jurão no período de março de 1981, quando a sede do antigo 1º Distrito mudou para o bairro Carumbé, ao lado da 1ª Residência Rodoviária-RERO-01 [eram separados pelo espaço onde eram depositadas sucatas (carros e máquinas) do antigo órgão estadual].

Fui admitido no antigo Dermat em 02/01/1981 e comecei trabalhando no 1º Distrito, cuja sede era na Rua 13 de Junho [onde atualmente funciona o Banco de Sangue do Estado de Mato Grosso], que era muito próximo de onde minha família morava naquela época [rua Major Gama, no Morro do Tambor]. Do portão do Dermat na rua Major Gama dava para eu vera minha casa no Morro do Tambor. Infelizmente, trabalhei ali apenas dois meses (janeiro e fevereiro de 1981) já que em 1º de março começamos a mudar para a sede nova no bairro Carumbé, no mesmo local onde funcionou a Oficina Central e o Diário Oficial do Estado.

Tenho nítidas lembranças da época em que convivi com Jurão quando éramos servidores públicos do Estado de Mato Grosso, em particular, das sextas-feiras quando lá na 1ª Residência fazia galinha com arroz ou peixada para o almoço e o Engenheiro Gonçalo Catarino, Chefe da Oficina do Dermat nos liberava as 16h, para irmos jogar bola contra a gurizada da antiga FEBEMAT ou Fazendinha, como o povo chamava naquela época. Juracy ia, mas não para jogar bola. Ia, para um barzinho de tábua que havia mais ou menos ali por onde foi construída a Policlínica do Planalto.

Nós, eu e Jurão [e muitos outros servidores de 35 ou 40 anos atrás], tivemos o prazer e a satisfação de trabalharmos como servidores públicos no Estado, numa época em que não havia essa roubalheira e corrupção desenfreada e vergonhosa, onde cargos comissionados não era moeda de troca de políticos e os órgão publicos municipais, estaduais ou federal prestavam serviços de qualidade para a população e não essa vergonha dos dias atuais. Para meu amigo Jurão: Meus Parabéns!!! [Homenagem póstuma] e para a família do meu amigo: Que Deus conforte seus corações pela perda de pessoa tão querida, pois o dor da perda não passa nunca.

Comentários Facebook