Dom Aquino/Morro do Tambor: A Época em que as Histórias em Quadrinhos e Álbuns de Figurinhas faziam as cabeças da meninada

157

Não eram só os meninos que gostavam. Meninas, adolescentes, jovens, adultos, casados, homens ou mulheres a maioria das pessoas das décadas de 1960 a 2000 curtiam Histórias em Quadrinhos

CUIABÁ/MT – Desde que aprendi a ler e escrever, isso por volta de 1968 [fui matriculado em 1965 ao completar sete anos, que era a idade escolar permitida na época], aos 10 anos de idade e a partir de 1970, já aos 12 anos de idade, meus pais já permitiam que eu acompanhasse meus irmãos de mais idade [geralmente, Zeca e Aide] aos domingos para seções de filmes no Cine São Luiz, no bairro do Porto, o mais popular na época, que foi onde descobri o gosto pela leitura das revistas de Histórias em Quadrinhos, os populares “Gibis” quando via praticamente que todos os meninos passavam mais tempo entretidos em trocar revistas do que em assistir aos filmes exibidos. Em 1971, ingressei-me na Guarda Mirim de Cuiabá no começo do ano e logo no mês de junho, era contratado para trabalhar pelo 9º BECnst e meus pais me davam parte do meu salário para que eu pudesse comprar os gibis e álbuns de figurinhas do qual eu tanto gostava.

A contragosto, porque ela não gostava que lesse gibis, queria que lesse somente livros didáticos ou a Bíblia Sagrada, mas o gosto pela leitura das revistas de super-heróis acabou fazendo com que eu passasse a gostar de ler sobre todo e qualquer tema e, como ela era uma pessoa justa, uma parte do salário [cerca de 10%, 20%] que eu recebia do Exército era para eu gastar com minha diversão predileta, com a outra parte eu ajudava nas despesas diárias que toda família tem.

Eu gostava colecionar álbuns de figurinhas e ainda hoje, aos 62 anos, ainda conservo alguns do começo da década de 1970. Lembro eu fiquei apaixonado, quando no ano de 1972, saiu um álbum de figurinhas em que a gente precisava formar várias imagens como, fogão, panelas de pressão, ventiladores, TVs, bicicletas, bolas e um Fusca. Não consegui formar nenhum dos prêmios, mas no Fusca faltou apenas duas figurinhas para conseguir forma-los. Um pedaço do vidro lateral traseiro e uma parte do pneu dianteiro e do para-choque. Um álbum do qual não esqueço nunca é o Bola de Prata, lançado no ano de 1970. As figuras eram chapinhas redondas de alumínio, autocolantes, cujo tema eram escudos e jogadores dos times que disputariam a última edição do Torneio Roberto Gomes Pedrosa, o ROBERTÃO, que foi sucedido pelo Campeonato Brasileiro a partir de 1971. Nessa época, eu ainda não trabalhava, mas meus irmãos Liberato e Aida; e também meus pais compravam figurinhas para mim e quase consegui completar o álbum todo. Faltaram algumas figurinhas que eram consideradas “difíceis”.

Por influência de meus irmãos de mais idade, eu comecei lendo Tio Patinhas, Pato Donald, Pateta, Mickey Mouse, Zé Carioca, Recruta Zero, porém, quando passei a acompanhar meus irmãos para as seções de matinés no cine São Luiz, passei a fazer parte daquela gurizada que ficavam apenas trocando gibis e não viam ao filmes a que para entrar no cinema. Nas décadas de 1970, 1980 e 1990, essas cenas de meninos trocando gibis durante a seção inteira de filmes era comum em qualquer um dos cinemas de Cuiabá, além do Cine São Luiz, também no Cine Bandeirantes, no Cine Teatro Cuiabá e no Cine Tropical, que era frequentado mais pela classe média alta, que podiam pagar pelas caras entradas daquele cinema, que era de luxo.

Ao passar a dedicar-me à leitura de revistas em quadrinhos de super-heróis, a primeira que me chegou as mãos foi uma de Batman. Imediatamente, fiquei fascinado por aquele personagem sombrio e violento, que era o Batman naquela época. Com o passar das décadas foram deixando-o menos frio e menos violento. Outro do qual também gosto muito, até hoje, é do Homem Aranha. Havia também Super-Homem, Mulher Maravilha, X-Man [os originais: Ciclope, Anjo, Fera, Homem de Gelo e Garota Marvel], Flash Gordon, Surfista Prateado, Mandrake, Fantasma “O Espirito que anda”, Hulk, Homem de Ferro, Capitão América e Thor. E uns mais antigos, da década de 1960 como Os Falcões, Magnus, Besouro Azul…

Havia também naquela época, as publicações bimestrais de algumas revistas, como as de Batman e Robin, do Super-Homem, do Homem Aranha e dos X-Man originais (Ciclope, Fera, Anjo, Homem de Gelo e Garota Marvel) por exemplo. Publicações colorida lançadas a cada dois meses. Uma da qual nunca esqueci, trazia na capa Batman, de costas, sendo preso, algemado. Só que na última capa, era que a gente podia ver que não era Batman e sim o vilão Doutor Hugo Strange que acidentalmente, descobriu a identidade secreta do Homem Morcego e cometeu vários crimes fantasiado do herói. Fã do jeito que sou desse personagem, Batman, quase tive um “troço” quando vi essa capa.

Os quadrinhos como os conhecemos hoje, nasceram com o uso e expansão da imprensa, pois, pelos jornais, as primeiras tirinhas foram publicadas e consumidas pelos leitores… Foi em 1939 que a primeira revista em quadrinhos foi publicada, nos Estados Unidos, apresentando o herói Super-Homem.

As histórias em quadrinhos integram os 11 tipos de arte reconhecidos no mundo. São muito apreciadas pelo público jovem por ser uma maneira despojada e divertida de contar histórias.

História em Quadrinhos – ou HQ – é o nome dado à arte de narrar histórias por meio de desenhos e textos dispostos em sequência, normalmente na horizontal.

Essas histórias possuem os fundamentos básicos das narrativas: enredo, personagens, tempo, lugar e desfecho. No geral, apresentam, linguagem verbal e não verbal.

No Brasil, a primeira revista em quadrinhos chamou-se Tico Tico e foi publicada em 1905 pelo periódico O Malho. Idealizado pelo artista Renato do Carmo, foi influenciado pela história em quadrinhos francesa La Semaine de Suzette e teve como personagem mais popular o garoto Chiquinho.

Apenas em 1960, que o público brasileiro teve um gibi inteiramente colorido com a publicação de A Turma do Pererê, do cartunista Ziraldo. O gibi foi apresentado pela Editora O Cruzeiro e trazia personagens inspirados na cultura nacional. [Por Laura Aidar, arte-educadora visual e fotográfica. Licenciada em Educação Artística pela Universidade Estadual de São Paulo/UNESP].

DC Comics e Marvel são duas grandes editoras de histórias em quadrinhos de super-heróis. Frequentemente postos em disputa pelos fãs, os dois universos construídos são diferentes e ricos em personagens e tramas.

A DC Comics foi fundada em 1934, pelo Major Malcom Wheeler Nicholson, mas somente em 1977 teve seu nome oficializado. A primeira revista publicada pela editora era em formato tabloide e se chamava Fun: The Big Comic 

Magazine # 1, seguida das revistas New Comics e Detective Comics. Em 1938, o personagem Super-Homem surge na revista Action Comics e, no ano seguinte, outro grande herói foi criado por Bob Kane e Bill Finger: o tão conhecido Batman. A partir daí foram criados diversos super-heróis, como o Lanterna Verde, Mulher Maravilha e Aquaman.

Já a Marvel foi fundada em 1939, pela Timely Comics, de Martin Goodman. Nessa época, os principais personagens eram Tocha Humana, Namor o príncipe submarino e Capitão América. Na década de 1960, a editora mudou seu nome para Marvel Comics, e a dupla Stan Lee & Jack Kirby criaram o Quarteto Fantástico e o Homem Aranha. Muitos outros heróis e heroínas surgiram no decorrer de sua história, e hoje a Marvel Comics possui um amplo universo. [jornalismojunior.com.br/Natane Cavalcante (natanecp@usp.br0].

Em meados ano de 1986, ao completar 25 de sua fundação, a Marvel Comics lançou a minissérie Star Wars [Guerras Secretas I e II]: Transportados a um estranho planeta por um alienígena todo-poderoso que se intitula O Beyonder, os maiores heróis e vilões da Terra foram reunidos para travar a batalha de suas vidas.

Chocados e ainda sem saber ao certo o que estava acontecendo, eles ouviram uma voz vinda do espaço: “Destruam seus oponentes e todos os seus sonhos serão realizados!”.

No primeiro confronto, os super-heróis saíram vencedores e alguns inimigos aprisionados, foram levados a uma fortaleza recém-descoberta.

Derrotado, o restante dos vilões retornou à base do Doutor Destino, que agora conta com um poderoso guarda-costas: o robô Ultron.

Enquanto isso, dois protagonistas se mantém à margem dos acontecimentos: Galactus, cujos planos todos desconhecem e Magneto, que decide atacar o QG dos heróis e capturar a Vespa.

Alguém pode conceber destino pior para os heróis do que a completa destruição de sua base? Não? Pois, por causa dessa terrível catástrofe, eles são obrigados a fugir para uma planície. Só que o Homem Molecular um ser tão poderoso que parece que foi criado justamente para esse confronto) resolve lançar uma enorme montanha em cima dos heróis. Desta vez, não há escapatória… tudo indica que os vilões serão os vencedores da batalha!

Mas, apesar disso, nem tudo está perdido. Thor interrompe seu breve exílio com Encantor e retorna para combater sozinho os inimigos. E os planos do Professor X levam os X-Man à fortaleza de Magneto. O que os mutantes estão tramando é difícil prever. Nesse momento, um pequeno vilarejo habitado por estanhos alienígenas, local que ninguém imaginaria existir neste mundo, passa a representar um importante papel nas Guerras Secretas. Dá para aguentar a longa espera de duas semanas por emoções? Não se esqueçam de que Galactus ameaça, a qualquer instante, devorar o planeta inteiro.

Ternura: o princípio do romance entre o Tocha Humana e a alienígena que o curou. Intriga: será que existe alguma possibilidade de Magneto assumir a liderança sobre os X-Man? Esperança: o conflito de ideias começa a provocar desunião entre os vilões, fato que pode alterar, e muito, o rumo da batalha. Desespero: todas as tentativas para deter a ameaça de Galactus fracassaram, e o devorador de mundos lança um enorme robô contra os heróis. Ação: é deflagrado um novo confronto entre as forças antagônicas de Guerras Secretas. Será que já não está na hora dos X-Man tomarem algum partido? Suspense: O Doutor Destino finalmente consegue invadir a gigantesca nave de Galactus. Imaginem o vilão de posse de todo aquele poderoso armamento. Tragédia: mais um herói cai vítima do conflito.

Para desgosto nosso [meu, particularmente], a partir do mês de maio de 1989, o universo DC começou a ser totalmente reformulado. Tudo seria mudado. Novas origens, heróis morriam, outros nasciam, enfim, as histórias em quadrinhos como estávamos acostumados, acabava ali, tudo seria radicalmente mudado, quando a DC Comics lançou a mini série Crise nas Infinitas Terras.

A série era um plano de reestruturação ou reformulação de seu universo de heróis e vilões e, que estendeu-se por todas as suas revistas, publicadas a partir de maio de 1989 e desenvolveu-se por quase um ano inteiro. Dois anos mais tarde, a DC Comics lançou a HISTÁRIA DO UNIVERSO DC que explicava sobre a minissérie.

Em dezembro de 1991, foi a vez da Marvel Comics, praticamente acabar com todos os heróis ou vilões mutantes. Esse fato deu-se na série MASSACRE DE MUTANTES também mostrado em todos os títulos da qual a editora detinha direitos autorias e durou de maio a agosto de 1991.

Trinta anos depois, em 2016, a Marvel Comics resolveu, de novo, reestruturar ou reformular seu vasto universos de terras paralelas, universos simultâneos e livrar-se de heróis que não foram muito bem aceitos pelo leitores. A editora lançou em 2016 a mini série Guerras Secretas que virou o universo Marvel de ponta cabeça. A obra foi publicada em todos os títulos a que a editora detinha os direitos de publicações: Guerras Secretas: Homem Aranha; Guerras Secretas: Os Vingadores; Guerras Secretas: Capitão Marvel; Guerras Secretas: Guardiões da Galáxia; Guerras Secretas: O Cerco & Caveira Vermelha; Guerras Secretas: O Fim do Universo Ultimate; Os Vingadores; Homem Aranha; Doutor Estranho; Universo Marvel; Deadpool; Doutor Estranho: O Juramento; Doutor Estranho: Prelúdio.

RESUMO: GUERRAS SECRETAS Nºs 4 e 5                                                          Vitor von Doom recriou o mundo conforme seu desejo, mas não esperava que “velhos” contratempos voltariam a atormenta-lo. Para poder colocar um fim na heresia que se revelou em Utópolis, ele mesmo resolve recepcionar os intrusos indesejados. Quando isso acontece, nem mesmo os aliados mais  próximos escapam de sua fúria.

GUERRAS SECRETAS: OS VINGADORES 2 Em Arcádia Lar das Heroínas Mais Poderosas da Terra, a Força V, um ataque  misterioso faz com que América Chávez seja condenada ao exilio nos territórios além do escudo, de acordo as estritas leis do soberano Destino. Agora, a Força V não vai descansar até saber quem está por trás de tudo isso.                                                          ROBOS vs ZUMBIS                                                                                                                        Em Guerras Secretas: A Era de Ultron vs Zumbis Marvel, conheça os limites do Mundo Bélico e um território onde a sobrevivência é quase impossível. De um lado, cópias mecânicas e sanguinolentas do superandroide Ultron, do outro, os maiores heróis e vilões do Universo Marvel transformados em zumbis malignos e carniceiros. Quando o choque inevitável entre os dois lados se dá, quem sairá vitorioso?                                                                                              RESUMO: GUERRAS SECRETAS Nºs 6 e 7                                                      Alguns dos sobreviventes da últimas incursão que se abateu sobre o Multiverso estão vivos e espalhados pelo Mundo Bélico, algo que tem incomodado Destino consideravelmente! A desordem começa a se instalar em todos os domínios e algo ainda pior para o soberano, está em andamento: heróis e vilões  do antigo mundo trabalham em conjunto para revelar sua farsa e depô-lo do trono.                                                                                                                  ELEKTRA 2                                                                                                                              Elektra Chegou ao fim de sua caçada ao Corvo Encapuzado de uma maneira bem inesperada. Infame e ardiloso, o Corvo construiu sua carreira roubando alvo dos outros assassinos que agora querem de volta o dinheiro que era deles… e a cabeça de o roubou. Após salvar a vida do ex-companheiro a srta. Natcios se tornou o novo alvo da guilda!                                                  Bucky Barnes: O Soldado Invernal 2                                                                                              Após a morte de Nick Fury, alguém tinha que assumir a posição de protetor do mundo. O Sargento Barnes e Daisy Johnson foram os “escolhidos” para árdua tarefa, mas nem tudo vai bem. A missão de Bucky e Daisy foi frustrada por Ossos Cruzados e agora os dois tem que encarar acontecimentos que podem alterar drasticamente o “futuro de todos”.                  RESUMO: GUERRAS SECRETAS Nºs 8 e 9 O momento decisivo se aproxima! Destino é atacado por todos os lados, mas parece que nem todo o poder combinado de seus adversários é capaz de derrota-lo! Por ironia, a chave para tal feito talvez se encontre no cerne do mundo artificial que ele próprio construiu… E enquanto sua criação vem abaixo,  Reed Richards o confronta pela última vez!                                                                                                          Doutor Estranho 1                                                                                                                Stephen Strange é o mago supremo da Terra e passa seus dias combatendo ameaças sobrenaturais que o resto da humanidade sequer percebe. No entanto, algo não vai bem no mundo das artes místicas e uma fuga em massa de várias manifestações estranhas para o nosso plano pode significar que alguma coisa muito perigosa paira no horizonte. Apenas mais um trabalho para o Doutor Estranho!                                                                                                    Os Vingadores 1                                                                                                                              Que tal uma breve espiada no que o futuro nos reserva ao Universo Marvel? Eles são novos, eles são os Vingadores! Acompanhe o surgimento de um supergrupo notável pela diversidade em suas fileiras! E por falar em diferenças, os incompreendidos Novos Vingadores ressurgem com o governo e a SHIELD cheios de dúvidas em relação à equipe.

E ainda há o cinema que presta um desserviço ao universo das histórias em quadrinhos ao lançar adaptações totalmente fora da realidade do que são os personagens nos gibis. Alteram nomes, sexo, cor de pele, orientação sexual, tornando-os, na verdade, novos personagens, mas aproveitando a aceitação que o herói tem nos quadrinhos. Como no caso do Capitão Marvel, lançado no cinema com o nome de Shazam. No filme o cara é simplesmente ridículo, parecendo mais um palhaço de circo que super-herói. Enquanto nos quadrinhos o cara rivaliza em poder com o Super-Homem, nesse filme o cara é um covarde ao extremo.

Shazam, personagem criado para desenho animado, era um gênio que protegia um casal de crianças que quando um perigo, uniam seus anéis e o gênio aparecia, nada a ver com o Capitão Marvel dos quadrinhos.

Sinto uma saudade enorme das histórias em quadrinhos das décadas de 1970, 1980 e 1990. Só que viveu a época sabe quão gostoso foi ser parte daqueles anos mágicos.

Comentários Facebook