Vilma Cavalcante da Silva, a humanização da superação

18

Normal
0

21

false
false
false

PT-BR
X-NONE
X-NONE

/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-priority:99;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin-top:0cm;
mso-para-margin-right:0cm;
mso-para-margin-bottom:10.0pt;
mso-para-margin-left:0cm;
line-height:115%;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:11.0pt;
font-family:”Calibri”,”sans-serif”;
mso-ascii-font-family:Calibri;
mso-ascii-theme-font:minor-latin;
mso-hansi-font-family:Calibri;
mso-hansi-theme-font:minor-latin;
mso-fareast-language:EN-US;}

Alto astral, luta, perseverança e vitória, assim se define a historia da servidora municipal de Cuiabá, Vilma Cavalcante da Silva Salgado. O ingresso no funcionalismo público aconteceu no mês de Julho do ano de 1985, ainda com com apenas 21 anos, quando atuava como instrutora de ensino na Escola Rural Mista Maria Alencastro Alves, do bairro Tarumã Bandeira,.

Lá permaneceu durante um ano, mas por ser contratada na época acabou sendo exonerada. Cinco anos depois, dona Vilma, como é conhecida, ficou sabendo de um concurso que seria realizado pela Prefeitura de Cuiabá e decidiu fazer para o cargo de Agente Operacional de Saúde.

Desse ponto então são 26 anos de serviços prestados ao funcionalismo público municipal com atuações em diversas secretarias, porém o maior tempo em meio ao gabinete principal do prefeito tendo acompanhado, de perto, os chefes das gestões entre 1986 até 2013.

Pelo seu jeito sorridente e comunicativa trabalhou 21 anos na recepção do  gabinete e sete no protocolo, também seguindo ordem direta do Prefeito da época. “Pra mim era uma felicidade imensa conversar e ajudar as pessoas que precisavam falar com o prefeito, ou com o chefe de gabinete. Eu fazia o possível para que todos fossem embora pelo menos com uma resposta ou com algo encaminhado”, contou.

Foi em meio a essa época que Vilma veio a passar uma fase complicada.   Começou a sentir muitas dores no corpo quando decidiu procurar um médico, então veio o diagnostico de um Linfoma não Hodgkin, um tipo de câncer que se desenvolve nos linfonodos (ou gânglios), além de uma metástase óssea.

Para ela, o primeiro sentimento que teve quando soube da doença foi de pânico, mas em um segundo momento, com o apoio dos filhos, amigos e da família, resolveu encarar esta etapa difícil com a cabeça erguida e com a certeza de que seria curada.

Segundo Vilma, durante o período de tratamento permaneceu apenas nove meses afastada do serviço público, insistiu e conseguiu voltar a trabalhar normalmente e só se ausentava quando tinha que fazer a quimioterapia.

“Várias vezes meus colegas de trabalho me perguntavam o que eu estava fazendo na prefeitura que eu deveria estar em casa, mas já viu… Na minha cabeça eu tinha vencido a doença e não queria ficar em casa só deitada sem fazer nada sabendo que eu estava ótima para trabalhar e exercer minhas funções”, lembrou.

Atualmente, Vilma está lotada na Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Turismo e com seus 32 anos de contribuição e 54 anos de idade, decidiu dar entrada na aposentadoria. Ela conta que agora, por estar com a saúde um pouco debilitada, decidiu tirar uma licença médica e esperar em casa a aposentadoria, porém já sente saudades dos amigos e do contato com as pessoas. Ela agradece por todo o apoio que vem tendo não apenas do Secretario de Cultura Marcus Fabrício, mas também do Prefeito Emanuel Pinheiro.

De acordo com ela, a chamada gestão humanizada está sendo colocada em pratica em todos os sentidos, pois tudo que ela precisou foi atendida com ajuda de todos os colegas e gestores.

“Me lembro que estava precisando de um dinheiro para comprar remedio e comentei com uma colega da secretaria. Dois dias depois ela pediu pra que meu filho fosse pegar o dinheiro. O setor fez uma cota e arrecadou a quantidade que eu precisava para comprar o medicamento. Todos eles se tornaram mais que amigos, sinto como se eles fossem da minha família”, observa emocionada.

A batalha contra o câncer durou oito anos e hoje Vilma vai ao médico uma vez ao ano para fazer apenas o acompanhamento. “Tenho muito orgulho de fazer parte desta gestão e por ter dedicado mais da metade da minha vida para a Prefeitura de Cuiabá. Só tenho a agradecer todos os que me ajudaram quando mais precisei e desejo muita sorte pro Emanuel nesta jornada”, finaliza Vilma.

Comentários Facebook