Vaz passa força a Donatti e lembra da própria falha: "Não vai acontecer mais"

512
 

Normalmente, quando um jogador de defesa falha de forma
gritante não tem jeito: é gol do adversário. Foi assim com Alejandro Donatti. O jogador tinha a bola em seu domínio, tropeçou e caiu no chão, deixando Rafael Moura
no mano a mano com Paulo Victor na derrota do Flamengo por 4 a 2 para o
Figueirense, na última quarta-feira, pela Copa Sul-Americana. Apesar de toda experiência, ele ficou abalado e admitiu que não esqueceu o erro que gerou o gol do Figueira. Se olhar para o lado, porém, o argentino vai encontrar belo exemplo de dar a volta por cima.

Rafael Vaz volta ao time no fim de semana contra a Chapecoense (Foto: Gustavo Rotstein)Rafael Vaz volta ao time no fim de semana contra a Chapecoense (Foto: Gustavo Rotstein)

Rafael Vaz errou
feio um recuo de bola e deu de presente o gol do Fluminense no clássico
realizado em Natal, ainda pelo primeiro turno do Campeonato Brasileiro. Mesmo
assim, Vaz resistiu ao abatimento e manteve-se firme na concorrência da
posição. Atualmente ele é titular da zaga rubro-negra ao lado de Réver ? a dupla
deve começar jogando contra a Chapecoense, neste domingo ? e acredita que o
colega poderá também dar a volta por cima.

– É uma situação complicada para qualquer atleta. Não
cheguei a conversar com ele, mas sei que vai superar isso porque é experiente e
tem nosso apoio. Além disso, tenho certeza de que, pela sua qualidade, nunca
mais vai acontecer isso de novo com ele – disse Rafael Vaz.

Na chegada ao Flamengo, Vaz tentou afastar, em entrevistas, o rótulo de zagueiro-artilheiro, lembrando que sua função primordial era evitar gols. Depois de três meses vestindo rubro-negro, ele conseguiu dentro de campo mostrar a qualidade para defender a meta do Flamengo e, curiosamente, não marcou gol. No Vasco, foram 10 gols em 47 jogos. Na Gávea, tem 13 jogos e tem se arriscado menos nos lances de ataque. Ele explica que cumpre apenas as funções que recebe pelo técnico Zé Ricardo.

– Não é uma coisa proposital (atacar menos), mas minha prioridade é fazer o
melhor no sistema defensivo. Esse é o meu foco para me firmar. Se eu terminar o
ano sem fazer um gol, mas com o Flamengo atingindo os objetivos, vou ficar satisfeito
da mesma maneira ? explicou o zagueiro.

Comentários Facebook