Time feminino do Corinthians encerra temporada histórica

42
source

Quase 29 mil pessoas proporcionaram à Arena Corinthians neste sábado (16) o maior público de um jogo entre clubes no futebol feminino do Brasil. Torcida que viu as meninas do Timão coroarem uma temporada histórica com outro título. Desta vez, o do Campeonato Paulista, superando o São Paulo na decisão, por 3 a 0.

O Corinthians chegou à partida com a vantagem do empate, já que havia vencido no Morumbi, há duas semanas, por 1 a 0, gol de Giovanna Crivelari. Mesmo assim, o Timão iniciou o jogo e um ritmo alucinante. Aos quatro minutos, Victoria Albuquerque encobriu Carla e colocou as alvinegras na frente.

Em pouco mais de 15 minutos, a equipe da casa criou mais três chances, com Pardal, Gabi Zanotti e Millene, que ainda teve um gol anulado por impedimento. Mesmo passando a cadenciar o jogo, as corintianas mantiveram o controle.

O São Paulo, que só chegou uma vez no primeiro tempo, em um chute cruzado de Brenda na grande área, continuou com dificuldades na etapa final. E o Timão foi letal no contra-ataque. Aos três, após um chute errado de Ary na entrada da área, as alvinegras saíram em velocidade desde a defesa e a bola sobrou para Juliete ampliar. Já aos 35, Paulinha disparou pelo meio e abriu na direita para Millene definir o placar.

Ano “quase” perfeito

As alvinegras encerram o Paulista – que no ano que vem terá metade das 16 equipes da primeira divisão do Brasileiro Feminino – com 100% de aproveitamento (20 jogos, 20 vitórias), além dos melhores ataque (67) e defesa (7). Victoria Albuquerque, presente nas últimas convocações da seleção feminina, foi a artilheira com 11 gols.

A vitória aumentou para 45 partida a série invicta do Corinthians. A última derrota foi em 21 de março, para o Santos, ainda pela 2ª rodada do Brasileirão. Desde então, o Timão emplacou 34 vitórias seguidas, recorde em jogos oficiais no futebol nacional, entre homens e mulheres.

A sequência vitoriosa foi interrompida com um empate por 1 a 1 com a Ferroviária, no jogo de ida da final do Brasileirão. Aliás, a temporada da equipe só não foi “perfeita” porque o título nacional escapou. Na partida de volta, novo empate, desta vez sem gols, com a equipe de Araraquara (SP) levando a melhor nos pênaltis.

O “troco” veio na principal competição do ano: a Libertadores, em Quito, no Equador. Apesar das dificuldades para treinar nos primeiros dias na cidade, devido a uma série de protestos da população contra o governo local, o Timão chegou à final e reencontrou a Ferroviária. Desta vez, com vitória alvinegra por 2 a 0 e o bi da América – o outro título foi em 2017, quando o clube ainda tinha parceria com o Osasco Audax.

O time comandado pelo técnico Arthur Elias encerrou o ano com 145 gols feitos e só 19 sofridos em 47 jogos. O Paulista era o caneco que faltava na galeria das alvinegras, que já tinham vencido a hoje extinta Copa do Brasil (em 2016, também em parceria com o Audax) e o Brasileirão (2018), além das duas Libertadores.

Edição: Verônica Dalcanal
Fonte: IG Esportes
Comentários Facebook