Servidor da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, muda em depoimento na CPI versão que do que declarou em cartório

37

“Fiquei aflito e até tentei impedir a entrada do deputado Estadual Emanuel Pinheiro (MDB) no gabinete do Secretário Silvio”

Ouvido hoje (13) de manhã pela Comissão que investiga o vídeo divulgado nacionalmente em que o Prefeito de Cuiabá, na época Deputado Estadual, Emanuel Pinheiro, foi filmado pelo secretario da Casa Civil do Governo de Silval Barbosa, Sílvio Cesar, recebendo pacotes e mais pacotes de dinheiro, que chegaram até a cair de seus bolsos, o servidor da Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso, Valdecir Cardoso de Almeida, disse que “jamais afirmou que o dinheiro recebido por Emanuel Pinheiro, não era propina, apenas imaginou que a quantia seria para pagamento de pesquisas eleitorais“. No vídeo abaixo, em depoimento, Sílvio Cesar em CPI na Câmara Municipal, declara várias vezes que o dinheiro recebido pelo então deputado estadual Emanuel Pinheiro (MBD) era sim propina.

Quando questionado sobre uma declaração que assinou em um cartório de Cuiabá, onde afirmava que o dinheiro recebido por Emanuel Pinheiro e gravado pelo secretário Silvio Cesar não era propina, disse que “pensou que era para pagar pesquisas eleitorais“, questionado, de novo sobre essa declaração feita em cartório, disse que já teria respondido sobre isso em outra pergunta e que não iria mais responder.

E nas duas intervenções do vereador Abílio Junior (PSC), a advogada do depoente, Drª. Angélica, ameaçou retirar seu cliente da sala de depoimento da CPI do Paletó, o que levou o presidente da Comissão Diego Guimarães à repreender o vereador Abílio, que havia perguntado ao senhor Valdecir Cardoso, “o quanto eu teria levado [R$] para ter feito a declaração em Cartório inocentando o então deputado estadual e atual prefeito“, para evitar que o depoente deixasse o local, numa clara atitude da parte da defesa do depoente de cercear a abrangência das perguntas dos vereadores inscritos para fazerem perguntas ao depoente.

Veja, abaixo trecho do depoimento do servidor da AL/MT, Valdecir Cardoso à Comissão da CPI do Paletó.

Comentários Facebook