SÉRIE, GRANDES CRAQUES QUE PASSARAM PELO FUTEBOL DE MATO GROSSO: MARINHO, MEIA ARMADOR DO DOM BOSCO

90

Marinho começou no juvenil do Santos, mostrou seu ótimo futebol no Dom Bosco, ficou conhecido no Brasil jogando pelo Operário de Campo Grande e ficou famoso sendo campeão da Divisão de Acesso com a Francana

No final do ano de 1972, Mário Cesar Bueno, promissor meio campista do Santos Futebol Clube estouro o limite de idade para jogar no time juvenil [categorias de base, como chamam atualmente] e foi avisado pela diretoria do Peixe de que não estaria nos planos de trabalho para o ano seguinte e, que procurasse um time onde pudesse jogar, ganhar experiência e voltar depois ao Santos e tentar uma vaga de titular no time profissional, pois talento ele tinha.
Em janeiro de 1973, membros da diretoria do Dom Bosco estiveram em Santos em busca de reforços e lhes foi recomendado o meia armador ou meia esquerda [atualmente se diz 2° ou 3° volante] Marinho. Como não se sabia se poderiam contar com Franklin, que já estava se tornando veterano, esses dirigentes aceitaram na hora, pois já haviam obtido informações sobre esse jogador.
Marinho, rapidamente, ganhou a vaga de titular no time alvi-celeste e tornou-se ídolo da torcida Dom-bosquina. Nessa época, Giorgio Fava era Diretor de Esportes do Azulão da Colina e possuía uma uma revenda de automóvel da marca VolksWaggen, na Rua Régis Bittencourt, próximo à atual sede do DNIT no bairro do Porto. Conheci Marinho pessoalmente na sede dessa revendedora de Giorgio Fava. Marinho, além de jogar no Dom Bosco, também trabalhava era contratado dessa empresa de Fava. Trabalhava como motorista e atendia a secretaria da empresa. Meu pai, que era pedreiro [e eu seu ajudante], fez várias reformas tanto na residencia como na empresa de Fava e sempre precisava comprar alguma coisa que faltasse para as obras, era Marinho quem ia, com uma Kombi, daquelas com uma carroceria baixa, muito comum nos anos da década de 1970 e eu sempre ia com ele.
Marinho ficou no Dom Bosco de janeiro de 1973 a maio de 1974 e se transferiu para o Operário de Campo Grande que iria disputar o Campeonato Brasileiro daquele ano. No Galo Carijó do sul do Estado, Marinho ficou até o final de 1976, a maior parte do tempo na reserva [pois como lá dinheiro não era problema naquela época, vários jogadores de ponta do Brasil passaram pelo meio de campo do alvi-negro, tais como: Liminha, ex-Flamengo; Alcir, ex-Vasco; Arthurzinho, ex-Fluminense; Nenê, ex-São Paulo que estava no Colorado-PR; Serginho, ex-Juventus-SP; Edison (ex-Ponte Preta; Dante ex-Guarani; Garcia, ex-Sport Recife e Roberto Cesar,ex-Cruzeiro] e, no começo do ano de 1977, ele foi para a A. A. Francana, da cidade de Franca, São Paulo, para disputar a Divisão de Acesso à Divisão Principal do futebol paulista.
Lá também Marinho brilhou. A Francana foi campeã da Divisão de Acesso naquele ano e garantiu vaga na Primeira Divisão em 1978 e Marinho juntamente com Assis [aquele mesmo que na década de 1980 formou a famosa dupla chamada de “Casal 20” com o centroavante Washington] foram responsáveis diretos pela subida de Divisão da Francana. As coisas não foram tão boas para a Francana na Divisão Principal do Futebol Paulista, o time não investiu o suficiente para fazer uma boa temporada e nos cinco anos em que esteve na elite do futebol de São Paulo ficou sempre nas últimas posições e Marinho perdeu a posição de titular no time ao final do 1° turno do Campeonato Paulista de 1979, recuperou a posição no campeonato do ano seguinte, 1980, mas o time continuava mal.
Para o 2° Turno do Paulistão de 1981, uma grande reformulação foi feita no elenco, mais da metade do time foi trocada, Marinho novamente foi sacado do time titular, o técnico Daltro Menezes perdeu o lugar para Vail Mota, o time deu uma melhorada, mas não conseguiu sair das últimas posições e na temporada de 1982, foi rebaixado para a 2ª Divisão, onde permanece até aos dias atuais. A partir desse momento, não se teve mais noticias do que ocorreu na vida desse grande craque. Apesar de mais de seis meses de pesquisas, consultas a sites, federações, não foi possível saber a atual situação desse jogador que parte da torcida alvi celeste nunca esqueceu.
Rua onde ficava a revendedora de Giorgio Fava [fachada amarela]

Tabela de Classificação do Paulistão de 1980. Publicado na revista Placar.
Lance da Final do Torneio de Acesso, onde Marinho disputa a bola com dois jogadores do Araçatuba-SP
Marinho na formação do time campeão em 1977. Publicado na revista Placar.
Marinho na formação do time da Francana em 1978. Publicado na revista Placar.
Marinho no time do Operário de 1975. Publicado na revista Placar.
Marinho com a camisa do Dom Bosco em 1974. Acervo de Joacir Hermes.
Time da Francana campeão da Divisão de Acesso Paulista de 1977, publicado na revista Manchete Esportiva.
Marinho no time do Operário de 1975. Publicado na revista Placar.
Comentários Facebook