SERÁ MAIS UM ‘GAME OVER’???

774
GOLEIRA DA SELEÇÃO BRASILEIRA, LUCIANA, É ACUSADA DE ENTREGAR JOGO

LUIZ CONSENZO                                                                                                               DE SÃO PAULO

Titular da seleção brasileira na copa do mundo da FIFA de 2015, no Canadá, e cotada para a disputa da Olimpíada do Rio, a goleira está sob suspeita, a menos de um mês do inicio dos jogos olímpicos.

O vice-presidente e diretor jurídico do Rio Preto, José Eduardo Rodrigues, enviou um oficio à CBF pedindo que apure a atuação de Luciana Maria Dionizio, 28, durante os dois jogos contra o Flamengo válidos pelo Campeonato Brasileiro feminino.

O dirigente afirma que a goleira teve comportamento ‘estranho’ nas duas partidas, principalmente no segundo jogo, no dia 20 de maio, no estádio Anisio Haddad, em São José do Rio Preto. O time carioca venceu por 2 a 1 e conquistou o título da competição – o primeiro jogo terminou com a vitória do Rio Preto por 1 a 0.

5038475_255x143. [downloaded with 1stBrowser]
Gol de penalti do Flamengo, um dos lances suspeitos na partida.
Segundo o vice, Luciana não se mexeu no primeiro gol do adversário, feito por Larissa, de penalti, aos seis minutos. Depois, aos 43 minutos, soltou a bola em chute de fora da área, demorou para ir no rebote e permitiu a Gaby marcar o segundo gol carioca.                   “Errar é humano, mas esses fatos merecem investigações. Na primeira partida, ela (Luciana) fez de tudo para tomar o gol, mas vencemos por 1 a 0. No segundo jogo, a Luciana, que é excelente pegadora de penalti, deu o canto para a adversária chutar e nem se mexeu. No segundo gol, soltou uma bola fácil e depois foi andando para o rebote“, relatou o vice.

5030672_255x143. [downloaded with 1stBrowser]
Segundo gol, goleira solta bola de longe e demora para ir abafar chute da adversaria.
Rodrigues ainda alega que a jogadora fez cera durante a partida mesmo sabendo que o resultado garantia o título ao Flamengo. “A Luciana alegou que não sabia do regulamento (gol fora de casa é critério de desempate). Ela é jogadora de seleção e não é possível que não saiba do regulamento. Conversamos com as jogadoras várias vezes sobre o regulamento“, disse.

OUTRO LADO

A Folha tentou ouvir Luciana, mas a goleira não atendeu aos telefonemas. A assessoria da jogadora disse que não iria se pronunciar.

Coordenador Técnico do futebol feminino  da CBF, Marco Aurélio Cunha, confirmou que recebeu o oficio do Rio Preto e o encaminhou para o departamento jurídico da CBF, que o repassou ao STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva). A Procuradoria do órgão analisa  o caso.

Cunha, que esteve nos dois jogos, disse que considerou os lances “normais para uma partida de futebol”. “Podia guardar esse oficio para abafar o caso, já que estamos nas vésperas da Olimpíada. Mas trabalhamos com seriedade e o encaminhei para o nosso jurídico”, finalizou.

 

 

Comentários Facebook