Secretária de Estado de Saúde divulga Boletim Epidemiológico. VG é o mais afetado por Covid-19

133

100 mil mortos por covid-19. Seria isso mesmo? E a chuva de denuncias no mês passado de que estavam incluindo pessoas mortas por outras causas como se por Coronavírus???

A Secretaria de Estado de Saúde (SES), divulgou dados de Boletim Epidemiológico na segunda-feira (11), onde consta que Várzea Grande figura como o município de Mato Grosso com maior incidência de mortes por Coronavírus, com taxa de 1.200 a cada 100 mil habitantes. Quantitativo, que é o dobro do registado em todo Estado.

Em Mato Grosso estão confirmados 67.144 casos e 2.239 mortes relacionadas à Covid-19. Conforme divulgado no Jornal Nacional na noite da segunda-feira (11) o Brasil teria batido  marca de 100 mil mortos pelo Coronavírus. Mas, não podemos deixar de considerar que esse número talvez não seja condizente com a realidade atual, já que o mundo inteiro viu pelas redes sociais, a chuva de denuncias de parentes de pessoas que faleceram em função de outas causas e foram incluídas como se por Covid-19. Denuncias de corrupção de Governos e Prefeituras também foram muitas, de que estariam colocando mortos por qualquer outro tipo de doença como que por Coronavírus. Segundo vídeo com denuncias [veja vídeo abaixo] do ex-Deputado Federal e atual presidente do Partido Trabalhista Brasileiro/PTB, Roberto Jeferson, cada morte por Covid-19 renderia aos governos e prefeituras R$ 18 mil reais.

Será que essa marca de 100 mil mortes por Covid-19, que a Rede Globo comemorou como se o Brasil tivesse sido campeão de uma Copa do Mundo de futebol, pode ser aceito coo verdadeiro? Pela enxurrada de denuncias não só em Cuiabá, mas no Brasil todo, no mínimo 40% do total  dessas mortes seria por outras causas.

Em Cuiabá, a incidência de mortes é de 2.316 por 100 mil pessoas e, em Várzea Grande 1.883 por 100 mil habitantes. O boletim revelou que em Mato Grosso existem 1927 de Covid-19 a cada 100 mil habitantes. A média diária de confirmações é de 419 casos e 14,19 óbitos.

As mortes atingem, principalmente homens, mais de 51,4% e 48,6% mulheres. 67% das mortes foram de pessoas com comorbidades, 39% eram hipertensas e 22% eram portadores da Diabetes. A taxa de ocupação das Unidades de Terapia Intensiva no Estado está em 74,93.

Comentários Facebook