RIO-2016: RESUMÃO DA 1ª SEMANA DE COMPETIÇÕES…BYE, BYE TOP 10

1136
Após uma semana da abertura oficial da Rio-2016, o projeto brasileiro de ficar entre os dez mais ganhadores de medalhas foi para o espaço. Não há mais chances nenhuma, já que o desempenho da equipe brasileira está bem abaixo do esperado. Só o judo e o futebol feminino estão se destacando

A expectativa de começar bem a competição ganhando de três a quatro medalhas no primeiro dia oficial de competições foi por água abaixo. O Brasil ganhou apenas uma medalha, de bronze, no Tiro Esportivo, com Felipe Whu,no sábado (06;08). Os judocas Sarah Menezes e Felipe Kitadai foram eliminados na respescagem.

Também no sábado, a esgrima a holandesa, naturalizada brasileira, Nathalie Moellhausen, também foi eliminada por uma atleta francesa.

Já no domingo (07), à noite, os nadadores João Gomes e Felipe França foram eliminados nos 100 metros, nado de peito, tal qual o judo, numa espécie de repescagem.

FUTEBOL

Já no futebol, só o time feminino está o mostrando chamado ‘futebol brasileiro‘, vencendo e convencendo. O futebol feminino estreou antes da abertura oficial da Rio-2016, vencendo as chinesas, até com certa facilidade, por 3 a 0, no dia 03.08 (quarta-feira) e no dia 04.08 (quinta-feira), a grande decepção para a torcida brasileira, a seleção masculina estreou com um vergonhoso empate em 0 a 0 contra a África do Sul. No sábado (06.08), noite, arrasou a seleção da Suécia por 5 a 1 e no domingo (07.08) a seleção masculina voltou a jogar muito mal e conseguiu somente empatar em 0 a 0 com o time do Iraque, que jogou desde os 10 minutos do segundo tempo, mais 7 minutos de acréscimos e foi intensamente vaiada pela torcida brasileira. Na terça-feira (09.08) a seleção feminina entrou em campo novamente, mas desta vez só empatou com a África do Sul, mas como já havia vencido e bem os dois primeiros jogos, se classificou em primeiro lugar no seu grupo. Na quarta-feira (10.08), a seleção seleção masculina de futebol até que enfim deu alegria à torcida brasileira, vencendo a seleção da Dinamarca por 4 a 0. Só lembrando que  o time escandinavo já estava classificada em primeiro lugar do grupo, e não se matou em campo para não perder do Brasil.

1470326237_387947_1470340890_noticia_normal. [downloaded with 1stBrowser]
Seleção brasileira masculina, que foi uma verdadeira decepção nos dois primeiros jogos da Rio-2016.
O torneio olímpico é o único que falta à seleção nacional. O Brasil já subiu ao pódio cinco, mas nunca no ponto mais alto. O país tem três pratas (Los Angeles-1984), Seul (1988) e Londres (2012) e dois bronzes (Atlanta-1996) e Pequim (2008), todas com a seleção masculina.

HANDEBOL: Brasil estreia com boa vitória sobre as bicampeãs dos jogos

A seleção se impõe sobre a Noruega com a ajuda da torcida, que se atrasou para entrar na Arena. A seleção feminina de handebol mostrou estar determinada em sua estreia, neste sábado (06.08) na Arena do Futuro, no Parque Olímpico.

Com uma defesa solida e variações no ataque, venceu por 31 a 28 a forte Noruega, que tenta nos jogos o terceiro ouro olímpico consecutivo. O Brasil marcou bem e até por isso teve várias punições, quando uma atleta deve ficar fora por dois minutos. Foram oito marcações contra o Brasil e duas contra a Noruega.                                                       “Essa é uma defesa de quem quer buscar o ouro. Estudamos muito a Noruega. Mas soubemos ter paciência e jogar gol a gol“, disse Jéssica Quintino.

Apesar da euforia e do alívio após a estreia, o clima entre as jogadoras era de tranquilidade. “É apenas um jogo da primeira fase. Não muda muito ganhar ou perder. Mas estão todas de parabéns“, disse Fabiana Diniz, que foi expulsa no primeiro tempo.

A central Ana Paula Rodrigues foi o destaque ofensivo com doze gols. No segundo tempo, a goleira Mayssa Pessoa sustentou a diferença no placar a favor do Brasil com importantes defesas em um momento crucial.

Ela defendeu seis dos dezenove arremessos feitos contra ela durante o jogo – aproveitamento de 32%, que pode ser considerado bom no handebol.

O fator casa, principalmente no segundo tempo, ajudou a seleção a abrir cinco gols de vantagem e, depois administrar a vitória até o fim.

GINÁSTICA ARTÍSTICA

Poderosas!!! Desempenho de Flávia Saraiva e Rebeca Andrade levam equipe feminina à semifinal

Contando muito com o sangue novo das ginastas Flavia Saraiva, 16, e Rebeca Andrade, 17, a ginástica brasileira conseguiu sua primeira meta nos jogos do Rio.

Depois de oito anos, o Brasil poderá tentar novamente uma medalha por equipes hoje (09.08), as 16H00, tarefa que não será fácil. O mais provável é que a ginástica feminina lutar para ficar na melhor colocação da sua historia, o que já seria um feito para um país com pouca tradição nesse tipo de esporte.

13892130_10154463953424216_3946309376254762853_n. [downloaded with 1stBrowser]
Ginasta Flavia Saraiva (com marca de batom no rosto) um dos destaques da equipe de ginástica artística.
Depois de disputar a final em Pequim, em 2008, o Brasil não conseguiu se classificar nos jogos de Londres, ficando em 12º lugar. Os bons resultados na classificação da Rio-2016 vieram principalmente pela participação de Flavia Saraiva na trave e das execuções bem feitas por Rebeca Andrade em três aparelhos.

Com seu 1,38 m e 35 Kg, Flavia deu um show de equilíbrio sobre a trave, equipamento que tem 10 cm de largura. O resultado obtido, 15,133, deve coloca-la também na final individual do aparelho.

13907092_10154463953464216_9055535323072645409_n. [downloaded with 1stBrowser]
Ginasta Flavia Saraiva, que obteve nota 15,133 nos exercícios individual na trave.
Ao contrário da maioria das ginastas, mas igual a Simone Biles (EUA), favorita ao ouro, Flávia começa sua apresentação na trave subindo no aparelho, sem saltar.                     “Sou muito concentrada. Estava esperando [a final], mas não coloquei isso como obrigação“, disse ela, logo após sua apresentação. Havia um beijo estampado na bochecha dela, dado pela colega de equipe Jade Barbosa. “Ontem à noite, ela não parava quieta no quarto. Parecia muito ansiosa. Achei até que teria que prender ela na cama“, comentou Jade.

Outra atração do dia (12.08) foi a ‘Beyonce brasileira‘, Rebeca Andrade, 17, que também faz sua primeira olimpíada. Entre as mais experientes do time brasileiro, Daniele Hypóllito, 31, deve disputar seus últimos jogos, e Jade Barbosa, a sensação era de dever cumprido por ajudar o Brasil passar à final.

13920908_10154463953609216_374457126756542857_n. [downloaded with 1stBrowser]
Ginasta Rebeca Andrade, a ‘Beyonce brasileira’, sendo carregada por Jade Barbosa, após excelente apresentação nos exercícios de individual no solo.
O que não impediu um pedido de desculpas de Daniele, que cometeu dois erros na sua exibição no solo. Ela caiu após série de saltos. E, mais para o final da apresentação, pisou fora do tablado, o que também ocasionou punição à nota dela.

BASQUETE: Com primeiro tempo ruim, Brasil perde para Lituânia na estreia

A estreia da seleção brasileira masculina de basquete na Rio-2016 teve duas caras: Uma desastrosa e outra boa. No fim das contas, pesou a péssima apresentação do primeiro tempo de jogo.

captura-de-tela-2012-06-27-c3a0s-01-47-22. [downloaded with 1stBrowser]
Seleção brasileira masculina olímpica de basquete na Rio-2016.
Neste domingo (07.08), na Arena Carioca 1, na Barra da Tijuca, o time treinado pelo técnico argentino Rubén Magnano perdeu da Lituânia por 82 a 76, pela primeira rodada do grupo B da competição.

Depois de boas apresentações em seis amistosos preparatórios (Em um, inclusive, venceu a própria Lituânia), o Brasil não soube controlar a ansiedade da estreia em casa [treino é treino, jogo é jogo…amistoso é amistoso, jogo oficial é jogo oficial].

Os brasileiros demoraram para decidir jogadas, rodavam pouco a bola e tinham dificuldades de acertar lances livres. Neste quesito, a equipe teve apenas 50% de aproveitamento no primeiro tempo, contra 77% de acertos dos lituanos.

O público, que encheu mas não lotou a Arena, ainda tentou incentivar. Mas quanto mais gritavam a favor do time, mais a Lituânia jogava. E menos a seleção brasileira fazia.      “Não podemos entrar na quadra com esse excesso de ansiedade e nervosismo. Se tivermos tranquilidade, vamos fazer as coisas como estamos acostumados“, disse o armador Marcelo Huertas.

Os lituanos chegaram a abrir 30 pontos de vantagem no primeiro tempo. Mas o Brasil voltou muito melhor para a segunda etapa. Leandrinho, um dos jogadores mais experientes do grupo, acordou e incendiou a Arena. Ele foi o cestinha com 21 pontos.                                 “É uma derrota difícil de assimilar. Jogávamos em casa, com o apoio da nossa torcida. Não podemos jogar daquela maneira. Não era o nosso time em quadra“, afirmou.

No segundo tempo, com um time mais coeso e eficiente, o time brasileiro fez 47 pontos e sofreu apenas 24. Mesmo assim, terminou o jogo com números ruins. De 14 arremessos d linha de três pontos, acertou somente dois (14%). E teve aproveitamento de 63% nos lances livres – acertou 22 de 35.                                                                               “Temos um torneio pela frente. A luta está aberta, e vamos lutar até o último momento“, disse o treinador.

JUDO: Brasileiros fecham o 2º dia sem medalhas

O judo brasileiro fechou o segundo dia sem medalhas. Érica Miranda perdeu neste domingo (07.08) a disputa pelo bronze na categoria meio-leve (até 52 Kg). Um dos carros-chefe do Brasil, o judo’ a agora busca ‘brindar’ os atletas contra pressão nos próximos cinco dias de competição.                                                                                                                      “A gente blindou isso [a pressão]. Temos cinco dias pela frente, e as possibilidades continuam para a gente melhorar nosso resultado“, afirmou o gestor de alto rendimento da CBJ (Confederação Brasileira de Judo), Ney Wilson.

Após subir ao pódio nos últimos três mundiais, Érika não repetiu os bons resultados do ciclo olímpico. Ela perdeu o bronze para a japonesa Misato Nakamura, tricampeã mundial. “As pessoas que ficam falando que o judo tem que medalhar sempre são as que realmente não vivem do esporte. É muito fácil falar:’Olha, você vai ganhar uma medalha olimpica’. Isso é o que todo mundo quer. O atleta que sobe no tatame quer mais que todo mundo“, disse Érika.

Outro brasileiro que autou neste domingo (07.08), Charles Chibana, perdeu logo na primeira luta para o tricampeão mundial Masastti Ebiwma, do Japão.

RAFAELA SILVA GANHA NO JUDO A PRIMEIRA MEDALHA DE OURO PARA O BRASIL

RAFAELA SILVA
A judoca Rafaela Silva que ganhou a primeira medalha de ouro para o Brasil.

A judoca Rafaela Silva, 24, conquistou ontem (09.08) o primeiro ouro do Brasil na olimpíada do Rio. Na categoria leve (até 57 Kg). Ela venceu a mongol Sumiya Dorjsu Ren na final com um Wasa-ari.

Rafaela cresceu na Cidade de Deus, Zona Oeste do Rio, onde começou a treinar ao cinco anos. Em Londres-2012, foi eliminada, sofreu ofensas racistas e pensou em desistir do esporte.

Comentários Facebook