Polícia tenta desocupar terreno da União no Altos do Ubirajara onde vivem 150 famílias

137

O deputado Wilson Santos está no local tentando uma solução pacífica em defesa dos moradores

    Por: Robson Fraga – 19/04/2022 – 10:57

Moradores da comunidade Altos do Ubirajara, em Cuiabá, foram surpreendidos na madrugada desta terça-feira (19) com máquinas e viaturas policiais dispostas à desocupação da área. O local fica atrás de um hipermercado na Estrada de Chapada. Por lá, vivem 159 famílias formadas por crianças adultos e idosos.

Aparecida de Jesus, que mora no local há cerca de um ano, conta que precisou ligar para a filha que ainda estava dormindo durante a chegada da PM. Ela conta que não tem para onde levar a família. 

“Foi entrando um monte de carro de polícia. Aí eu liguei para minha filha, que estava até dormindo e não estava sabendo do que estava acontecendo, eu falei pra levantar rápido”, conta Aparecida.

“Como vocês estão vendo a minha casa é metade de lona, metade de madeira. Para estar aqui, cada morador teve que suar, carpir, rastelar, a gente não quer nada, não quer ajuda de nada, a gente só quer ficar aqui porque nós investimos, você pode achar que é uma madeira velha, mas se você for no material de construção ver o preço dela. Isso é muito triste, revoltante, porque se tirar nós aqui eu não tenho para onde ir”, explicou Monique Ângela mora no local com o esposo e o filho de três filhos.

O terreno pertence à União, segundo o deputado estadual Wilson Santos (PSD) que está no local. Ele disse que a ordem judicial manda que as famílias sejam removidas para locais seguros, o que segundo moradores não está acontecendo. Muitos moradores saíram para buscar abrigo na casa de amigos e familiares, mas a imensa maioria permanece no loca.

Ele garantiu que a Polícia Militar está cumprindo ordem, mas disse que se houver violência e descumprimento do que diz o mandado irá tomar providências.

“Estou com a ordem de despejo e ela é clara: pra tirar vocês daqui tem que garantir um local seguro pra vocês. A PM está cumprindo ordem, só não podo praticar violência,. Não temos problema com a polícia, mas se praticaram violência vamos filmar e tomar todas as providências”, disse.

“Temos dois caminhos: sairmos todos pacificamente ou resistirmos aqui dentro e não aceitarmos sair. Isso tem que ser feito de forma organizada. Vou ao TJ, vou ao governador para tentar encontrar uma solução negociada agora. Inclusive a ocupação da escola municipal até que tudo se resolva. vamos buscar uma solução pacífica”, completou.

O deputado continua no local tentando uma solução pacífica. Ele já entrou em contato com o TJ e com o governo. Abaixo, documentos que comprovam denuncias do Deputado Wilson Santos:

 
Comentários Facebook