POLÍCIA PRENDE SETE DEVIDO MANIPULAÇÃO DE RESULTADOS

630

GUILHERME SETO                                                                                                           LUIZ CONSENZO                                                                                                               DE SÃO PAULO

A Polícia Civil prendeu dia quarta-feira (06.07), sete pessoas de uma quadrilha que manipulava resultados de partidas de futebol, principalmente  nas séries A2 e A3 do campeonato paulista, e divisões inferiores do Norte e Nordeste.

O objetivo do grupo era beneficiar apostadores asiáticos. De acordo com o DHPP (Departamento Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa), foram expedidos dez mandados prisão temporária e dois de busca e apreensão.

A operação, denominada Game Over, acontece nas cidades de São José do Rio Preto,    Bauru, Sorocaba, além da capital.  Ocorre também em cidades do Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte e Ceará.

Ainda de acordo com a policia, a rede de apostadores é da Malásia, da China e da   Indonésia. Por enquanto, não há mandado de prisão para estrangeiros. “Estamos investigando a existência de uma quadrilha que atuava mais precisamente nos estados      de São Paulo e Rio de Janeiro e que, junto de uma quadrilha ainda desconhecida da   Malásia, da China e da Indonésia, aliciava jogadores, técnicos e presidentes de clubes       das séries A2 e A3 do Paulista para que os resultados favorecessem apostadores nas   bolsas da Ásia“, disse a delegada Kelly Cristina de Andrade, que não descartou que os  grupos tenham influenciado campeonatos de maior importância.

A operação foi iniciada no começo de 2015, após pedido do Ministério Público de São Paulo, ainda em andamento e o inquérito está sob segredo de justiça.

Um dos presos é Carlos Henrique de Luna, 33, ex-goleiro do América-SP, que negou ao jornal “Diário da Região” a acusação de ter participado do esquema.

Em depoimento ao Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo, o presidente do América, José Carlos Pereira Neto, revelou que foi procurado por Anderson da Silva Rodrigues, que seria um dos membros da quadrilha de aliciadores que atua no Brasil. O DHPP confirmou      à reportagem que Rodrigues foi procurado no Rio, mas não foi encontrado.

O atacante Marcio Souza da Silva, 36, que jogou no futebol da Indonésia por cerca de oito anos, também foi preso pela policia do Rio. Em sua passagem pelo time asiático, ele teria desenvolvido relação próxima com o grupo de interessados em manipular resultados. De volta ao Brasil, o jogador teria passado a se ocupar do aliciamento.

Procurado pela reportagem, Paulo Schimitt, Procurador-Geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), apresentou relatório que, baseado em análises de variações incomum em sites de apostas feitas por empresas especializadas, aponta  possíveis irregularidades em diversas partidas de 2015.

SANTO ANDRE 9 X 0 SOROCABA
Santo André goleia Sorocaba por 9 a 0 e jogo é suspeito de estar sendo manipulado pela Mafia de Apostas asiática.

Em setembro, por exemplo, o Santo André venceu o Sorocaba por 9 a 0 pelo Paulista sub 20. Movimentações estranhas em sites de apostas e o fato de o Sorocaba ter escalado jogadores com 17 anos ou menos despertaram suspeitas e colocaram a partida no escopo das investigações. Outra partida que levantou suspeita foi a vitória do Rio Preto sobre o Barueri por 4 a 0 na Série A3 do Paulista em fevereiro deste ano.

OUTRO LADO

Ao jornal Folha de São Paulo, a mulher de Luna, Michelle, disse que o marido não tem   ‘nada a ver com o assuntoe ‘não sabe o que está acontecendo‘. O advogado de Marcio Souza da Silva não foi localizado, Assim como Anderson Rodrigues.

Comentários Facebook