Para quem viveu o futebol cuiabano desde o Dutrinha à sua fase de ouro nos anos 80 depois da construção do Verdão, é muito triste ver a situação dos clubes atualmente

747
Torcida do Mixto Esporte Clube, a maior do Estado. [Pesquisa por imagem]

Clubes da Baixada correm o risco de ficarem fora da próxima fase do Campeonato Estadual

Clube Esportivo Operário Várzea-grandense e Clube Esportivo Dom Bosco, juntamente com o, pasmem, Operário Futebol Clube Ltda. – estão de fora dos primeiros lugares de seus respectivos grupos. O genérico Operário Ltda. nem deveria ser credenciado a disputar o Campeonato Mato-grossense. É uma vergonha esse time e acaba denigrindo a imagem do campeonato. O Palmeiras Esporte Clube, durante toda a sua existência, jamais teve uma atuação como a Operário Futebol Clube.

866e50da-d76f-4cbd-a6a7-6dfed02caf46. [downloaded with 1stBrowser]
Último Mixto X Operário na Arena Pantanal, público ínfimo para o que foi o ‘Clássico dos Milhões. [Pesquisa por imagem]
A diretoria do Mixto contratou comissão técnica de fora, mas esqueceu de contratar jogador. Nos quatro jogos que disputou conquistou apenas um ponto, em um 2 a 2 com o Cacerense no Geraldão, e só. Ainda não deslanchou e terminou o turno em último lugar. Se continuar assim, vai disputar a Segunda Divisão do Estadual. O Mixto é o clube de maior torcida no Estado e precisa reagir na competição. Quem não se lembra do jogo de 1976 contra o Vasco, em São Januário, quando não passou para a Fase Semifinal, por causa da derrota por 1 a 0 para o time cruzmaltino em que Pastoril perdeu um pênalti, quando a partida ainda estava empatada em 0 a 0.

Untitled13. [downloaded with 1stBrowser]
Seleção de Mato Grosso, em 1974, para um jogo contra o Atlético Mineiro no Dutrinha.Em pé: Luis Carlos, Joel Silva, Miro, Saborosa, Saldanha e Bota.Agachados: Zé Polula, Valdécio, Pastoril, Dirceu Batista e Celso.
No Clube Esportivo Operário Várzea-grandense a situação é quase igual à do rival Mixto. Nos quatro jogos levou a melhor somente sobre o Mixto ao vencer por 3 a 2 na estreia, e só. As esperanças agora estão depositadas no técnico Eder Taques, no lugar do goiano Valdemir Araújo, que não se deu bem. Eder Taques disse que o grupo de jogadores é de qualidade e tem esta semana para acertar de vez o time e brigar em igualdade aos demais em busca da classificação. O Chicote da Fronteira que já montou grandes times como os do bicampeonato da Copa Cuiabá de 1963/1964 ou o bi-campeão estadual de 1972/1973, com Carlos Pedra, Gaguinho, Joel Diamantino e Cesar ‘Diabo Loiro’, Carlos Eduardo, Bife, Cecílio e Odenir ou o time que disputou contra o Mixto, a vaga para o Campeonato Brasileiro de 1976: Carlos; Paulinho, Polaco (ex-Juventus-SP), Gaguinho e Iranir; Humberto (ex-Ponte Preta-SP), Nelson Lopes (ex-Marília-SP) e Mosca (ex-Corinthians-SP); Pelezinho (ex-Mixto), Bife e Wilsinho (ex-Marília-SP).

Dom Bosco - 1978
Dom Bosco time que disputou o Brasileirão de 1978,Em pé: Wilson, Tuca, Zé Luiz, Valter, Roberto Dias e Serginho. Agachados: Gonçalves, Fidélis, Adilson, Bargas e Pelego.

O Dom Bosco formou uma equipe caseira e está melhor que o CEOV e o Mixto. Terminou o turno em terceiro com seis pontos. O técnico Gianni Freitas tem suado a camisa para armar o time e fez bonito na rodada passada ao vencer o Araguaia em pleno estádio Zeca Costa, em Barra do Garças. Está no grupo que tem o União em primeiro com nove pontos em três jogos e o Cuiabá em segundo com seis, mas com um jogo a menos que o líder. Entre os anos de 1977 e 1979, o Azulão da Colina montou um time cheio de craques como os goleiros Miguel (ex-Portuguesa) e Wilson; Tuca, Ailton Silva ( todos ex-Santos), Jorge Nei (ex-Flamengo), Roberto Dias (ex-São Paulo), Bargas (ex-colorado), Fidélis (ex-Flamengo/RJ), Babá e Adilson (ex-Santos), que ganhou da imprensa cuiabana o apelido de ‘Academia‘, pelo seu bonito e vistoso futebol.

Operário de Campo Grande, canpeão do último campeonato mato-grossense unificado em 1979. [Pesquisa por imagem]
Operário de Campo Grande, canpeão do último campeonato mato-grossense unificado em 1979. [Pesquisa por imagem]
O Operário Ltda. nem deveria estar inscrito no Estadual. É uma vergonha. Falar como o experiente esportista Paulo Fanaia: “esse Operário Ltda. é uma vergonha. É pior que o Poconé Esporte Clube. Alias, o Poconé, sim, deveria ocupar essa vaga do genérico Operário Ltda.”.

A exceção da Baixada Cuiabana no Estadual deste ano é o Cuiabá Esporte Clube. Eliminou o Rondoniense da Copa do Brasil e que venha a Ponte Preta de Campinas. No Estadual, está com cem por cento de aproveitamento e nesta quarta-feira recebe o Araguaia na Arena Pantanal e ainda tem o União de Rondonópolis.

Comentários Facebook