Pai de santo que estuprava mulheres em sessões vira réu

88

Heraldo Lopes Guimarães vai responder processo em liberdade após decisão da juíza responsável pelo caso

Paulo Moura – 18/11/2020 07h33

O pai de santo Heraldo Lopes Guimarães, conhecido como pai Guimarães de Ogum, virou réu pela acusação de ter estuprado quatro mulheres durante sessões espirituais entre 2011 e 2016. A denúncia foi aceita pela juíza Manoela Assef Silva, da 16ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP), após pedido do Ministério Público (MP).

Apesar da denúncia da Promotoria ter acusado Heraldo de sete estupros de vulneráveis contra mulheres e adolescentes, a magistrada entendeu que há indícios que o homem tenha cometido o crime contra quatro das vítimas, uma delas de 14 anos. Entretanto, a juíza encaminhou duas denúncias de estupro a uma vara diferente, já que a 16ª trata apenas de casos contra vulneráveis, e rejeitou a denúncia feita por uma das vítimas.

Outro ponto que a juíza não atendeu no pedido da Promotoria foi a solicitação para que Heraldo ficasse preso preventivamente durante o processo. Ele responderá aos crimes em liberdade. Segundo o portal G1, a alegação da juíza para não prendê-lo seria o fato de que o pai de santo tem residência fixa, não apresenta risco à sociedade e também estaria com a saúde debilitada.

Apesar desse fato, Manoela determinou que o réu cumpra medidas cautelares enquanto durar a instrução criminal, como entregar seu passaporte, não deixar a cidade sem autorização prévia e não se comunicar com as vítimas e testemunhas do caso. Se ele descumprir algumas das restrições, poderá ir para a prisão.

Comentários Facebook