O SONHO VIROU PESADELO. SELEÇÃO FEMININA FAZ SUA PIOR PARTIDA NA OLIMPÍADA E NEM A MEDALHA DE BRONZE CONSEGUIU

668

Renovação da equipe é motivo de preocupação

Assim como em outras edições da Olimpíadas em que jogadoras brasileiras mostraram potencial para disputar a medalha de ouro e pararam pelo meio do caminho, o tema da falta de apoio às profissionais volta à baila. Momentos antes do confronto nesta sexta-feira (19.08) – com transmissão de Band, Globo, Fox Sports 2 e SporTV 3 -, no Itaquerão, em partida que valia a medalha de bronze, o técnico Osvaldo Alvarez, o Vadão, lamenta as dificuldades para renovar o grupo.                                                                          “Ficou provado que, se o futebol feminino tiver apoio, como foi o da CBF na seleção permanente, a mulher é capaz de mostrar evolução, mas que é lenta. Porque tem poucas atletas jogando o futebol feminino“, afirma o treinador.

Ao se olhar para as principais jogadoras do time é possível entender a preocupação de Vadão. Marta terá 34 em 2020, quando acontecerá a Olimpíada de Tóquio, ao passo que Cristiane terá 35 e Formiga terá 42 anos.

Até o momento, nenhuma jogadora do time despontou tanto quanto as duas, o que pode gerar um vácuo técnico na seleção. No entanto, já há várias apostas para cumprir o papel.

Coordenador da Seleção Feminina, Marco Aurélio Cunha aposta na zagueira Rafaelle, 25, e na meia-atacante Andressinha, 21, como futuras referencias. “Quando começamos o projeto da seleção permanente [no qual as jogadoras recebem salários fixos da CBF], só havia duas ou três atletas fora do país. Agora, após os jogos, serão praticamente 20, porque elas voltaram a chamar a atenção. Vamos evoluir sem nos prender a nomes“, explica.                                                                                                                      “O esporte é recente nas Olimpíadas, começou em 1996, uma defasagem enorme com relação ao exterior. Nos Estados Unidos, as jogadoras começam com oito anos de idade. Aqui, só achamos garotas de 14, 15. A medalha de ouro não chegou por eventualidade, a campanha não pode ser vista como fracasso“, completa.

CANADÁ DERROTA BRASIL E FICA COM O BRONZE

O Canadá conquistou ontem (19.08) a medalha de bronze do futebol feminino das Olimpíadas Rio-2016, derrotando a  seleção brasileira por 2 a 1. Com isso, o Brasil termina o torneio em quarto lugar.

As canadenses marcaram ainda na metade do primeiro tempo. A brasileira Rafaelle tinha a bola dominada dentro da área adversária, bobeou e foi desarmada, a zagueira Lawrence correu com a bola dominada de seus campo até a área do Brasil, não foi parada por ninguém, então dentro da área brasileira deu o passe para Rose, só empurrar para dentro do gol.

A atacante canadense também foi fundamental na jogada em que a equipe marcou o segundo gol deixando a defesa brasileira novamente para trás a abrindo espaço para Sinclair marcar, o segundo gol, no inicio do segundo tempo.

O gol do Brasil só saiu aos 34 minutos (2º tempo), quando Beatriz dominou uma bola de lateral e finalizou com um chute certeiro. No entanto, não foi o suficiente para que as brasileiras virassem o jogo. Apesar da derrota, ao final da partida, o público aplaudiu o esforço do time brasileiro.

Comentários Facebook