O que era para ser uma grata surpresa, tornou-se uma grande decepção!!!

340

Parceria do Operário Várzea-grandense com o Boa Esporte de Minas Gerais, foi um fiasco histórico

CUIABÁ/MT – Um dos principais times da História do futebol de Mato Grosso, o Clube Esportivo Operário Várzea-grandense, segunda maior torcida no Estado e que sob o comando do “Velho Guerreiro” Rubens dos Santos viveu seus melhores dias, de glórias e conquistas como os bicampeonatos nos anos de 1963 /1964 e em 1972/ 1973. Além de ter lançado para o futebol nacional e internacional, o centroavante José da Silva Oliveira, o BIFE, que no ano de 1979, sem ajuda de internet e toda a tecnologia de atualmente, teve seu futebol reconhecido na Europa onde jogou pelo Futebol Clube de Porto, da cidade do Porto, Portugal.

Um time que já teve em suas formações, craques como os goleiros Mousse e Ale Huntar, Ciro, Vital Tatuzinho, Bugrelo “Fufú de Veado” na década de 1960 ou formações como: Carlos; Nide, Malaquias, Gaguinho e Lira; Joel Silva e Joel Diamantino; Carlos Eduardo, Bife, Cecílio e Odenir ou ainda Carlos; Paulinho, Marco Nezinho e Bota; Cesar “Diabo Loiro” e Magela; Zé Polula, Bife e Odenir, na década de 1970, além de outras grandes formações nos anos das décadas de 1980 e 1990. Já os anos 2000 não trouxeram nada de bom para o futebol de Mato Grosso e nem para o Operário de Várzea Grande.

Porém, o século 21 não está sendo bom para o futebol profissional de Mato Grosso e nem para o Operário-VG. Se o ano de 2020, particularmente, está sendo muito bom para o Cuiabá Esporte Clube, para o Operário de Várzea Grande está sendo um ano para se esquecer. Vice campeão estadual em 2019, em 2020 conseguiu a vergonhosa proeza de ser eliminado da segunda fase do Estadual pelo time semiprofissional do Dom Bosco, pouco dias atrás. UMA VERGONHA!!!                                                     

[As imagens são de divulgações na internet]

Comentários Facebook