O erro de R$ 318 mil reais da Globo que foi parar na Justiça

544

 

Jurídico da emissora alega que transferência foi feita em um “lapso”; homem que recebeu o dinheiro por engano não devolveu e comprou uma casa com o valor

Por Larissa Quintino Atualizado em 4 fevereiro de 2022, 16h51 – Publicado em 4 fevereiro de 2022, 16h20

A Globo entrou na Justiça para tentar recuperar 318.600,40 reais, um valor que equivale a cerca de 0,22% do lucro empresa no 3º trimestre de 2021 (142 milhões de reais). O motivo de recorrer à Justiça seria uma desatenção que levou a um “Pix” errado. O jurídico da emissora alega ter feito o depósito por engano para a conta de um homem. Ao notar o equívoco, pediu o dinheiro de volta, mas não foi ate porque o rapaz, ao ver a bolada na conta, comprou um imóvel e alega que não tem como devolver o dinheiro. 

Nos altos do processo que corre na 3ª Vara Cível do Rio de Janeiro, a Globo detalha a situação. Ela alega que havia celebrado um acordo trabalhista e, por causa da decisão judicial, fez um depósito me sentença. Porém, a emissora informa que houve um “‘lapso” e o dinheiro foi depositado de forma errada na conta do homem que, agora, a Globo processa. De acordo com a petição, a emissora disse que entrou em contato com o rapaz e o informou do depósito equivocado, solicitando o dinheiro. O mesmo, segundo diz a Globo no processo, teria informado sobre a impossibilidade de devolver o montante, visto que ao ver o dinheiro em sua conta, adquiriu um imóvel. Nos autos do processo não fica claro se o homem é um ex-funcionário da emissora que estava envolvido no processo ou se, antes do “erro no Pix” não tinha nenhum relacionamento com a empresa.

No momento, o processo está parado porque o juiz da causa, Luís Felipe Negrão, alega que há “equívoco de ordem processual” que impedem o andamento. Segundo o magistrado, o valor atribuído pelo jurídico da emissora à causa (1.000 reais) é incompatível com o pedido de tutela final, de 318 mil reais feito em depósitos errados.  Além disso, o juiz pediu esclarecimentos na petição, sobre o fato da empresa ter os dados bancários e o contato do homem que está processando. Procurada para falar sobre a ação, a Globo não respondeu até a publicação desta reportagem.

Comentários Facebook