Morre mãe de brasileira presa por tráfico na Tailândia

216

 

Mary Hellen Coelho está presa no país asiático desde fevereiro por tráfico internacional de drogas

Paulo Moura – 14/04/2022 08h43 | atualizado em 14/04/2022 09h35

Thelma Coelho, mãe de Mary Hellen Coelho, a brasileira que está presa desde fevereiro na Tailândia por tráfico internacional de drogas, morreu nesta quarta-feira (13), em Pouso Alegre, Minas Gerais, após lutar contra um câncer.

De acordo com a defesa de Mary Hellen, a jovem presa no país asiático ainda não sabe da morte da mãe por causa das dificuldades de contato com ela na prisão.

Leia também

1 Bilionário Elon Musk faz oferta para comprar 100% do Twitter
2 Morre a mãe da jovem brasileira presa por tráfico na Tailândia
3 Morre Freddy Rincón, ex-jogador de Corinthians e Palmeiras
4 Polícia investiga ligação entre esquartejamentos em São Paulo
5 Moro lembra que seu nome era o terceiro nas pesquisas eleitorais

Ainda, de acordo com a defesa, a comunicação entre a jovem e os familiares estaria sendo feita por cartas, porque a superlotação nas prisões da Tailândia e a pandemia de Covid-19 estariam dificultado a realização de chamadas de vídeo.

– Difícil demais, demoram para responder. Até hoje a família não teve contato direto com ela. O contato é geralmente por e-mail, a resposta demora mais de 24 horas para chegar. Sempre dizem que estão fazendo o possível, mas não conseguimos avançar – disse a advogada Talita Franco, que faz parte da defesa de Mary Hellen.

A advogada Kaelly Cavoli Moreira, outra integrante da equipe que defende Mary Hellen no Brasil, contou que Thelma lutou “com todas as forças” para ver a filha. A defensora ainda disse que um e-mail foi enviado para que seja possível dar a notícia da morte da mãe para Mary Hellen.

– Em razão do fuso horário é possível que o contato seja feito após o enterro. Já encaminhamos um e-mail para a embaixada e também estamos tentando contato com o Samut Prakan [a prisão em que se encontra Mary Hellen] para darmos a notícia de maneira mais respeitosa e sensível. Sem sucesso até o momento, acredito que em razão do fuso horário – afirmou.

Na semana passada, a brasileira enviou uma carta para os familiares. Escrita em inglês, para facilitar o entendimento das autoridades locais, a jovem dizia no texto que esperava que a mãe melhorasse logo. Ela também enviava beijos e abraços para parentes e amigos.

– Manda um beijo ao meu avô e para minha avó. Lembro de todos vocês no Brasil. Mãe, eu amo você tanto e espero que você melhore logo. Um grande obrigada a todos do Brasil por me ajudarem. Estou muito feliz agora. Espero que minha família e todos os amigos me respondam – escreveu a jovem.

O CASO

Mary Hellen e um amigo de 27 anos foram presos no dia 14 de fevereiro deste ano, no aeroporto de Bangkok, na Tailândia. Um outro rapaz, de 24 anos, que levava parte das drogas em outro voo, também foi preso ao desembarcar. Os três saíram de Curitiba com a cocaína distribuída nas malas.

O conteúdo das bagagens chamou a atenção de funcionários durante a inspeção do raio-X, e as malas foram revistadas. Mary Hellen e o rapaz levavam 9 quilos da droga em um compartimento secreto. Já o jovem de 24 anos levava consigo 6,5 quilos de cocaína.

Conhecida pelas duras leis contra o tráfico de entorpecentes, a Tailândia pode punir o crime com prisão perpétua e até com pena de morte – com base na quantidade de drogas e nas circunstâncias.

Comentários Facebook