MORADORES DO TANCREDO NEVES COBRAM ASFALTO

920

Os moradores do Tancredo Neves não aguentam mais sofrer com a falta de asfalto nas ruas de um bairro que já existe a 30 anos

Joacir Hermes de Amorim                                                                                 Reportagem Local

No bairro Tancredo Neves não existem opções de lazer, entretenimento e atividades físicas inexistem. O Centro Comunitário a muito tempo está fechado e se alguém da comunidade precisar realizar algum evento como, casamento ou aniversário, tem que pagar locação a particulares.

Ninguém sabe informar atualmente se o bairro tem ou não presidente. Indagados por nossa reportagem, vários moradores afirmaram desconhecer quem seja o presidente, um deles, afirmou ser um tal de senhor Jandir Jacó e nos mostrou a casa dele, mas procurado várias vezes nesse endereço, não conseguimos falar com ele.

Os moradores do Tancredo Neves, vivem em uma situação de quase desespero por conta do estado precário das ruas do bairro, das quais mais de 90% não possuem asfalto. Apesar de o bairro ter 30 anos de existência, apenas algumas ruas possuem asfalto.

Os moradores principalmente crianças e idosos, são os que mais sofrem com doenças respiratórias. “Nós temos crianças pequenas não sabemos nem como agir. É muito complicado, precisamos de ajuda e de asfalto em primeiro lugar. Nós trabalhamos, pagamos impostos e merecemos tratamento melhor“, disse uma moradora antiga, que inclusive está com uma filha de três anos internada com doença respiratória.

Em 2009, houve uma licitação na Secretaria de Estado de Infraestrutura(SINFRA), a Concorrência Pública nº 016/2009, Processo Administrativo nº 544114/2009, cujo objeto licitado foi: Obras de Pavimentação Asfáltica e Drenagem de Águas Pluviais, em vários bairros e ruas no município de Cuiabá/MT.

No bairro Tancredo Neves, que fez parte do Lote 2 da referida Concorrência Pública, deveriam ser asfaltadas as seguintes ruas:

  1. Rua Jauru – entre a Rua Juara e a Avenida Vicente Emílio Vuolo;
  2. Rua Comodoro – entre a Avenida Vicente Emilio Vuolo e a Rua Juara;
  3. Rua Juína – entre a Rua Juara e a Travessa A;
  4. Rua Nova Brasília – entre a Vila Bela e a Estrada 09;
  5. Rua 09 – entre a Rua Vila Bela e a Rua São José da Serra;
  6. Rua Colíder – entre a Rua Nova Brasilândia e a Estrada 04;
  7. Rua São José da Serra – até o Limpa Roda.

A Seção de Recebimento de Envelopes de Documentação e Proposta de Preços aconteceu no dia 02/10/2009, às 14H30 horas, na Sala de Licitações 01;

A Seção de Divulgação de Resultado de Habilitação das empresas licitantes foi no dia 20/10/2009, às 08H30 horas e ficou HABILITADA para o Lote 2, da qual fez parte o bairro Tancredo Neves Foi a empresa MÚLTIPLA CONSTRUÇÕES LTDA;

A Seção de abertura dos envelopes de Proposta de Preços, das empresas licitantes Habilitadas aconteceu no dia 21/12/2009, às 14H30 horas e foi CLASSIFICADA para o Lote 2, do qual fez parte o bairro Tancredo Neves foi a MÚLTIPLA CONSTRUÇÕES LTDA;

A Seção de Divulgação de Resultado de Classificação das empresas licitantes aconteceu no dia 07/01/2010 e a empresa MÚLTIPLA CONSTRUÇÕES LTDA foi Vencedora do Lote 2, da qual fez parte o bairro Tancredo Neves, apresentando o valor global de R$ 4.227.553,83 (quatro milhões, duzentos e vinte e sete mil, quinhentos e cinquenta e três reais e oitenta e três centavos).

Não se sabe o que aconteceu, mas nenhuma dessas ruas foi pavimentada e, comentários correntes entre os moradores do bairro, principalmente os mais antigos, é de que na Prefeitura de Cuiabá, o bairro Tancredo Neves consta como que todo asfaltado.

Mas Eu (Joacir) me lembro de um comício que o candidato a prefeito na época (2007) fez no bairro, o hoje Deputado Estadual Wilson Santos, afirmou aos moradores que ele, garantia o asfaltamento de todo o bairro, caso ele fosse eleito e o foi, mas o bairro continua do mesmo jeitinho como estava no dia do comício.

IMG_0650
Salão Aries, que funciona no mesmo local no Tancredo Neves,a mais de 15 anos.

O senhor José Aparecido Gomes, mais conhecido como Cido Cabeleireiro (Salão Aries), 59 anos e, que foi um dos primeiros moradores do bairro, não mora mais no local, mas mantém atividade profissional ali, a mais de 15 anos, nos disse o seguinte: “Rapaz… aqui no começo era chamado de ‘Cantinho do Céu’, porque era um verdadeiro inferno, principalmente à noite. Quando houve a invasão, entraram juntos um bando de viciados em drogas  eles eram o terror dos moradores, pois praticavam furtos de tudo que pudesse ser vendido ou trocado por drogas“.

IMG_0652
José Aparecido Gomes, 59, um dos primeiros moradores do bairro Tancredo Neves.

Cido, concluiu contando que “Naquela época, não havia água encanada, a gente pedia para os vizinhos do CPA-II e CPA-III ou da Morada do Ouro, locais que ficavam distantes, mas era a realidade do dia a dia dos invasores. Quem podia comprava água de um carro pipa, que era caro e quem não podia, se virava como fosse possível. As ruas eram trilhas abertas pela própria comunidade, até que mais tarde conseguimos da prefeitura máquinas para abrirem ruas de verdade“.

Olivério Silva, 58 anos, também falou com a nossa reportagem. Ele nos contou que nunca morou no Tancredo Neves, é morador do CPA 3, Setor I, mas que fez parte de uma comissão de moradores do bairro Tancredo Neves, que conseguiu do prefeito Roberto França, a construção da ponte de concreto que liga o bairro à Morada do Ouro, através da Avenida Vicente Emílio Vuolo.”Naquela época, para irmos ao bairro Morada do Ouro, tinhamos que atravessar por dentro de uma enorme vala, que é o córrego Gumitá, que vem lá do lado da Avenida do CPA e corta os bairros Centro America e Tancredo Neves, era arriscado, pois o barranco era alto e tinha muita pedra. Mulheres e crianças, tinham mais dificuldades para atravessar. Até que os próprios moradores fizeram um pontilhão de madeira para ajudar na travessia e depois, conseguimos a construção da ponte de concreto“.

Na Rua Rosário Oeste, que começa na Rua Projetada e termina em frente ao muro da UPA da Morada do Ouro, ficou famosa nos anos 90 e 2000, por causa da ponte que ali existe. Naquela época, era chamada de ‘Ponte do Pedágio‘, por causa da existência de bocas de fumo nas proximidades, onde os viciados que frequentavam o local, cobravam das pessoas para poderem usar a ponte.

IMG_0659
Ponte na Rua Rosário Oeste, que ficou conhecida como ‘Ponte do Pedágio’, nos anos 80 e 2000 (Ao fundo, o muro da UPA da Morada do Ouro).

O OUTRO LADO

A Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística/SINFRA-MT, por meio da assessoria, declarou que “Conforme manifestação técnica do Setor Responsável, a Unidade de Programas Especiais (UNIPE), o processo em epígrafe trata-se do Instrumento Contratual   nº 71/2010 firmado com a empresa MULTIPLA CONSTRUÇÕES LTDA para execução de serviços em diversos bairros, incluindo o Tancredo Neves.             Contudo, o contrato foi rescindido em 02 de agosto de 2011 e realizado novo processo licitatório em 2014, que deu origem ao Instrumento Contratual nº 267/2014. firmado com a CONSTRUTORA NHAMBIQUARAS LTDA.     A obra teve ordem de reinicio emitida em 01.07.2016. A equipe de fiscalização da SINFRA estará percorrendo o trecho na próxima semana (18.07) para averiguação do inicio do fato. Caso constatado que a obra não foi iniciada, a fiscalização adotará as providencias cabiveis previstas em contrato“.

Confiram galeria de fotos de como se encontram ruas do Tancredo Neves atualmente:

 

Comentários Facebook