Flamengo depende de equilíbrio para vencer o Sport em estreia no Brasileiro

672
RIO DE JANEIRO, BRAZIL - SEPTEMBER 27: Emerson #11 of Flamengo is congratulated by his teammates after scoring a goal against Vasco during a match between Flamengo and Vasco as part of Brasileirao Series A 2015 at Maracana Stadium on on September 27, 2015 in Rio de Janeiro, Brazil. (Photo by Matthew Stockman/Getty Images)
Equipe entra em campo neste sábado tentando colocar em prática o que busca desde janeiro: harmonia entre eficiência ofensiva e consistência defensiva

Desde que começou a comandar o Flamengo, em janeiro, Muricy Ramalho buscou uma formação com equilíbrio. Um time ofensivo, mas que não apresentasse fragilidade defensiva. Ao longo de 23 partidas oficiais, o Rubro-Negro variou entre a criação de jogadas e a falta de movimentação. Outras vezes apresentou consistência na posse de bola, mas foi dominado pelos adversários. Mas neste sábado começa o Campeonato Brasileiro, e, por isso, é hora de encontrar a fórmula ideal. É com este intuito que a equipe enfrenta o Sport, às 16h, no Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda (RJ).

O árbitro da partida será Marcelo Aparecido de Souza (SP), auxiliado por Rogério Pablos Zanardo (SP) e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa (SP). Premiere, Premiere HD e PFCI transmitem ao vivo, e o GloboEsporte.com acompanha em Tempo Real com vídeos.

Com o departamento médico vazio e sem suspensos, Muricy Ramalho tem todo o elenco à sua disposição para escolher qual o esquema tático para o jogo de estreia na competição – a exceção é Wallace, que pediu para deixar o clube nesta sexta-feira, na véspera da partida. Ao longo de Campeonato Carioca e Primeira Liga, o treinador variou entre o 4-3-3 – que deixou o time com muitas opções de ataque, mas com o meio-campo tomado pelo adversário – e o 4-4-2 – não testado em jogos importantes, mas que fez o Flamengo mais compacto. No entanto, o indicado ao longo da semana é que o Rubro-Negro vai atuar com a primeira formação.

Confira abaixo a provável escalação

Campinho Flamengo (Foto: GloboEsporte.com)

– Para o Brasileiro, se você joga com um esquema só, é porque você é previsível. Se você joga com duas variações, é porque tem variações. A gente joga com o que temos para jogar. Temos que respeitar as características dos nossos jogadores, temos os 4-3-3, temos também o 4-4-2. Temos que ter variações – defendeu Muricy.

Até o meio-campo, nesse caso, não há dúvidas. O que Muricy deixou em aberto à imprensa e ao público é quem serão os companheiros de ataque de Guerrero. Recuperados de lesão muscular, Emerson Sheik (sem disputar uma partida desde 9 de abril) e Everton (que não entra em campo desde 23 de março) foram testados entre os titulares. Fernandinho e Marcelo Cirino são as demais opções.

Sem disputar uma partida há 10 dias, o Flamengo teve tempo de sobra para trabalhar todas as suas alternativas. Nas atividades, Muricy Ramalho procurou unir a ofensividade ao poder de marcação no meio-campo, algo que o time não conseguiu apresentar até aqui. O lado direito, com Rodinei, Willian Arão e Marcelo Cirino tem sido o ponto forte do Rubro-Negro, apresentando uma qualidade que ainda não foi equiparada pelo esquerdo. Por ali, no 4-3-3 Mancuello terá mais liberdade para avançar, com a cobertura de Cuéllar, mas passa a atuar como volante quando o time não tem a bola.

Comentários Facebook