Fiuza critica Folha e lembra de fonte que desmentiu repórter

38

 

Jornalista citou episódio em que jornal foi desmentido pela própria fonte na CPI das Fake News

Pleno.News – 07/10/2021 19h35 | atualizado em 08/10/2021 11h42

Em meio às polêmicas envolvendo a ex-estagiária do ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, que teria agido como “informante” do jornalista Allan dos Santos, Guilherme Fiúza relembrou, em participação na Jovem Pan, que o jornal Folha de S. Paulo já sofreu um “vexame” público com uma de suas fontes.

Em sua fala, o jornalista citou um ex-funcionário de uma empresa que teria feitos disparos de mensagens em massa a pedido da campanha eleitoral do então candidato Jair Bolsonaro. O ex-funcionário, ao ser ouvido pela CPI das Fake News, negou que a empresa tenha agido a favor de Bolsonaro.

– Eles [da Folha] fizeram um carnaval com isso, o tal do “jornalismo investigativo”, mas foi uma coisa ridícula. “Bolsonaro foi eleito por disparos de WhatsApp”… Mas aí acabou que o Fernando Haddad foi condenado por manipular esses aplicativos e redes sociais – afirmou.

Fiuza lembrou também do depoimento da fonte usada pela Folha de S. Paulo em reportagem contra Bolsonaro.

– E a fonte da Folha apareceu naquela CPI das Fake News e desmente vocês, dizendo que não foi nada daquilo. Aí vocês disseram que a fonte se contradisse, mas era a fonte de vocês! – disparou.

– Vocês [da Folha] estão de espetáculo em espetáculo. Essa CPI das Fake News foi um fetiche anti-bolsonarista. Se Bolsonaro sair da política amanhã, a vida de vocês vira um vazio existencial. Olha aí, Folha, em quanta coisa você ‘tá metida. Você acha que ‘tá passando batido? – questionou Fiuza.

Comentários Facebook