Em Anápolis/GO, jovem morador de rua de 20 anos tem 70% do corpo queimado

205

Morador de rua tem corpo incendiado em Anápolis, diz a Polícia Militar

Jovem de 20 anos pediu ajuda em uma casa e não soube dizer quem colocou fogo no corpo dele. Bombeiros informaram que a vítima teve 70% do corpo queimado e está no Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira/HUGOL, em Goiânia.

Um jovem de 20 anos, que segundo a Polícia Militar seria morador de rua, teve o corpo incendiado em Anápolis, a 55 km de Goiânia. O caso aconteceu no início da madrugada deste sábado (22), no loteamento Guanabara, às margens da BR-153. A vítima, segundo os Bombeiros, teve 70% do corpo queimado.

Segundo o que foi relatado na Polícia Civil pelos militares, que atenderam a ocorrência, a vítima, identificada como Jorge Luiz Rodrigues, foi socorrida pela Corpo de Bombeiros após um morador do loteamento ouvir os gritos de socorro da vítima.

“O mesmo relatou que ouviu alguns gritos de socorro, quando saiu até a porta de sua residência e deparou com a vítima com o corpo todo queimado, Jorge Luiz Rodrigues disse que era morador de rua e que alguém havia levado o mesmo até a BR-153 e colocado fogo em seu corpo. Ele não teve condições de informar quem teria feito isso com ele”, consta no relato feito pelos militares no registro de ocorrência.

O Corpo de Bombeiros disse que a vítima de queimaduras graves e foi levada para o Hospital de Urgências de Anápolis (Huana), onde recebeu os primeiros atendimentos, mas precisou ser transferido.

O rapaz foi levado para o Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), na capital. A unidade informou, por telefone, que o paciente está na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e que o boletim com o estado de saúde dele sai às 19h00 deste sábado (22).

De acordo com o delegado plantonista, Ariel Martins, a 4ª Delegacia de polícia Distrital de Anápolis é a unidade responsável por investigações. Segundo ele, a vítima deve ser ouvida assim que tiver condições para isso.

“Acredito que o melhor meio é entrevistar a vítima para apontar local que esteve e tentar verificar se existe alguma câmera que tenha registrado algum elemento que leve até o suspeito, como placa de carro, vestimenta e etc”, informou o delegado.

Comentários Facebook