CASA DOS HORRORES/CANALHÓDROMO: VEREADORES DESISTEM DE REAJUSTE

248
Documento que concedeu aumento de 25% aos vereadores e que revoltou a população cuiabana. [Divulgação]

A população cuiabana pressionou e vereadores ‘abrem mão‘ de reajuste

Após repercussão extremamente negativa da população sobre o aumento nos salários, os vereadores de Cuiabá não irão reajustar em 25% seus próprios salários, como foi aprovado no final da última legislatura. Os vereadores na tarde da segunda-feira [09.01] devolveram à Prefeitura o projeto de lei para que seja arquivado. Por isso, um novo reajuste só deve ser debatido em 2020 com vistas a  vigorar na legislatura 2021/2024.

O presidente da Câmara, Justino Malheiros [PV] afirmou que após ampla conversa com os vereadores que mesmo considerando o reajuste legal, o momento atual de crise financeira nacional, não permite que o aumento seja feito. “Nós sabemos e entendemos que o momento atual não é favorável para o aumento, até pelas dificuldades financeiras e econômicas que tem refletido também na sociedade“.

O Ministério Público Estadual [MPE] chegou a notificar a atual mesa diretora, para que o reajuste fosse revisto. Nas redes sociais a população se manifestou fortemente contrária ao aumento de salário dos parlamentares em momento de crise. Um link com um Abaixo Assinado contra o reajuste foi divulgado.

Para o segundo-vice presidente da Câmara Municipal, Diogo Guimarães [PP], é importante ouvir os anseios da população, e que o movimento contra o aumento ajudou na decisão dos parlamentares. “Somos representantes de todos os cuiabanos, é nossa obrigação ouvir as ruas, o desejo da população e eles foram essenciais para que o aumento não ocorresse nesse momento”.

Dilemário Alencar [Pros], que é secretário-geral da Câmara, disse que esse é o primeiro passo para que a Casa adote medidas para economizar nesse momento crítico que assola o país como um todo. “Nós percebemos o momento crítico, o aumento foi aprovado porque o salário dos parlamentares estão congelados”.

O vereador Marcelo Bussiki [PSB], que é auditor Tribunal de Contas do Estado [TCE/MT], lembrou que a Câmara Municipal de Cuiabá não adota o critério de Reajuste Geral Anual [RGA] para repor a inflação acumulada dos últimos 12 meses sobre os salários dos vereadores. O atual salário dos vereadores está congelado por quatro anos.

A legalidade do reajuste tem amparo constitucional, mas estamos todos conscientes do momento econômico que o Brasil atravessa, e os vereadores de Cuiabá já têm demonstrado na prática, princípios de economicidade quanto ao pagamento dos valores dos seus subsídios e da verba indenizatória que custeia as atividades parlamentares”, finalizou.

A população cuiabana quer entender porque mesmo sabendo de tudo isso, tendo ciência do momento crítico que o país atravessa, então porque aprovaram o projeto de lei que reajustava em 25% o salário dos vereadores justamente na última seção legislatura passada???

Na verdade, voltaram atrás por medo da reação da população que não aguenta mais ser roubada. Apresentaram esse projeto de lei unica e exclusivamente por ganancia. O POVO ESTÁ DE OLHO NO CANALHÓDROMO!!!

Comentários Facebook