Aumento de combustíveis: A gota d’água na paciência do povo e de empresas

317

Quadrilha de políticos corruptos quebraram um dos países mais ricos da humanidade, o Brasil

O aumento da tributação sobre os combustíveis e o bloqueio adicional de R$ 5,9 bilhões em gastos no orçamento federal não tem agradado nem os mais próximos do presidente Michel Temer (PMDB). Até mesmo o senador mato-grossense José Medeiros (PSD), vice-líder do governo no senado, esquivou-se fazer uma defesa do reajuste, que passa a valer à partir de sexta-feira (21.07).                                                                                             “Essa é de doer né? Isso aí é que nem bola de Rogério Ceni, no ângulo, não tem defesa“, disse o senador.

No fim das contas, quem paga o pato é o povo. As crises econômica e politica balançam o Brasil ha muito tempo, forçam o sacrifício de todos [menos presidentes e familiares, ministros e apaniguados. Todo mundo se lembra do escândalo dos Cartões Corporativos do governo de Dilma Rousseff], principalmente de quem paga impostos. A carga tributária brasileira é uma das mais altas e agora estamos diante de um novo recorde.

A aumento fora da curva das contribuições PIS e COFINS, que incidem sobre os combustíveis. Nas bombas dos postos, espera-se uma elevação superior a R$ 0,40 por litro. Especialmente, para quem depende de veículos para trabalhar, o reajuste será cruel. Na capital, o litro da gasolina, por exemplo, vai se aproximar de R$ 4,00. Se ao menos fosse razoável, as reclamações seriam menores.

O aumento sobre os combustíveis, por sinal, pode ser a gota d’água para um colapso nas empresas do transporte coletivo de Cuiabá e Várzea Grande. Sem o aumento da tarifa este ano, os empresários do setor se dizem desesperados e alegam que a medida do governo federal elevando a carga tributária PIS/COFINS sobre a gasolina e o óleo diesel poderá agravar a crise no transporte coletivo afetando a manutenção dos veículos e pagamento de salários. No caso do diesel, a alíquota subiu hoje (21.07) e as empresas já pagaram 11% a mais no preço do litro do diesel S500, utilizado pela maioria da frota do transporte coletivo.

A população vai entender o aumento de impostos“, disse o presidente ao anunciar reajuste nos preços da gasolina e do óleo diesel. Para o coordenador da Força Tarefa da Operação Lava Jato, Deltan Dallagnol “É claro que a população vão compreender o aumento de impostos“, já que “desviam [roubam] R$ 200 bilhões por ano praticando corrupção“.

Dallagnol disse também que “deixam de aprovar no Congresso medidas anticorrupção, gastam mais do que devem, inclusive via emendas milionárias para parlamentares a fim de comprar o apoio parlamentar para livrar Temer da acusação legitima por corrupção; e agora querem colocar a conta disso tudo no nosso bolso, aumentando impostos“.

O Procurador da Republica ainda disse ser necessário “recuperar nossa dignidade“. E finalizou declarando que: “Toda vez que eu for abastecer o carro, que eu pensar na saúde e educação pobres, que eu topar com buracos em estradas e infraestrutura precária que prejudica investimentos vou lembrar disso tudo. Em 2018 vou mostrar toda minha compreensão do que está acontecendo e dar minha resposta contra os corruptos, como cidadão, nas urnas“.

Aí quando um cidadão diz ser a favor da volta dos militares ao poder, todo mundo critica. Mas no Brasil, a única forma de governo que funciona é a ditadura militar. Os gênios dizem: Mas a ditadura militar torturou e matou. Sim, torturou e matou, bandidos. Guerrilheiros, assassinos, sequestradores, assaltantes de bancos.

A maior prova de que a ditadura militar é melhor para o Brasil e para o povo brasileiro, são esses fatos que vem acontecendo nos últimos dez, quinze anos. As prisões desses figurões que devolvem milhões do que roubaram, numa prova de eram ladrões e canalhas. As prisões de Zé Dirceu e Zé Genoíno, fieis escudeiros do presidente mais ladrão, canalha e vagabundo da história do Brasil.

Nenhum general da ditadura militar que ocupou a presidência do Brasil ficaram ricos ou milionários como ficaram os ex-presidentes pós ditadura militar. À exceção de Itamar Franco; José Sarney, Fernando Henrique Cardoso, Fernando Collor, Lula, Dilma Roussef e o atual Michel Temer estão todos milionários. E deixaram o Brasil nesse estado de calamidade total.

A solução para tirar o Brasil dessa situação é uma só: FECHAR O CONGRESSO NACIONAL, AS ASSEMBLEIAS LEGISLATIVAS ESTADUAIS, E AS CÂMARAS MUNICIPAIS. Começar tudo do zero. Não deixar que nenhum dos atuais políticos concorram a qualquer cargo que seja. NEM PARA SÍNDICO DE PRÉDIO.

Comentários Facebook